21 de outubro de 2014

Alexandre Oliveira - "A formação não passa de uma utopia"

Alexandre Oliveira apenas esteve
quatro jornadas à frente do São Félix
Alexandre Oliveira foi despedido do comando técnico do São Félix, após a derrota com o São Vítor no passado fim-de-semana por 3-2.
O técnico havia chegado ao clube com o objectivo de apostar na formação dos azuis e brancos, sendo esse o projecto do clube para os próximos dois anos, que compreendia uma aposta sólida na formação e depois tentar o regresso à Divisão de Honra.
Porém, esse projecto esbateu-se ao cabo de quatro jornadas, sem pontos, e com o último lugar da tabela classificativa. 
Alexandre Oliveira foi apanhado de surpresa com a decisão da direcção liderada por César Rocha: "Fiquei sem raciocínio. Não estava à espera mesmo", começou por dizer o técnico, em exclusivo, ao A Bola é Redonda.
Com uma vasta experiência na formação, cerca de 10 anos, Alexandre Oliveira sabe que não se constroi um plantel competitivo de um dia para o outro e que a opção que a direcção tomou teria que ter tempo para dar os seus frutos: "O clube decide alterar e mudar o futebol sénior, o que implica logo uma redução orçamental, ou seja, assume a formação para dar continuidade ao futebol sénior com valores reduzidos. Constrois um plantel com oito seniores de primeiro ano, seis ou sete de segundo ano mais dois com idade júnior. Tens de gerir isto e construir uma identidade e, como é óbvio, exige trabalho e tempo mas os resultados são o prioritário", desabafa o técnico, que conta o que lhe foi dito na hora da saída: "Não chega jogar bem. Tens de ganhar rápido. O que interessa é ganhar. O próprio Presidente referiu que a juventude é o motivo da saída, claro que os resultados também são consequência", disse.
Por tudo isto, para Alexandre Oliveira, falar de formação é falar-se numa utopia: "Fala-se muito na formação, que se deve apostar na formação. Quando se aposta depois é o que se vê. A formação não passa de uma utopia. Dizem ser o futuro para sobreviver mas não é viável, os pontos vão estar sempre em primeiro lugar", atira.
Ainda assim, o treinador ficou satisfeito com estes cerca de dois meses de trabalho à frente do São Félix: "Fica a satisfação de que, pelo menos, durante dois meses foi possível demonstrar bom futebol, e isso foi reconhecido pelos nossos adversários. Os pontos eram uma questão de tempo", concluiu. técnico.
Ainda não surgiram nomes para a vaga deixada por Alexandre Oliveira, que se transformou assim na primeira 'chicotada psicológica' da época, na 1ª Distrital.

7 comentários:

Anónimo disse...

É impressão minha ou já se fez 6 jogos taça incluída e não fizeste nenhum ponto? Querias que a direção deixa se alargar o fosso para a linha de agua? Tens de reconhecer que falhas-te, coisa que vocês esses novos treinadores não tenhem capacidade pra fazer acham se sempre os reis da cocada.
Apesar de tudo felicidades e boa sorte para o futuro

Anónimo disse...

afinal o s felix não tem 1000 inconformados mas 1001 e este acontecimento vitoria é a vossa vitoria.
adoro treinadores de bancada, mas se tivessem tanta língua como conhecimento nem sequer a boca abriam.
parabéns ao Mister Alexandre e seus adjuntos pelo plantel que criaram em "saldos". parabéns por quererem mudar o futebol deste clube, por tudo que fizeram.
lamento ter estado parado e não ter ajudado 1 minuto que fosse, mas o futebol é isto.
desejo as melhores felicidades a equipa técnica e esperar uma próxima oportunidade para voltar a ser orientado por eles, com ideias firmes e um futebol atractivo sem ter psudo-craques no lote de jogadores.

um abraço do Castro 77!

beto loiro disse...

Deus não dorme e é bem verdade...só tenho pena do meu clube de coração estar como está e agora quem vier treinar não vai ter tarefa fácil...Mas cada um tem o que merece...Tenho pena de estar como está...mas segundo o que sei é a nova politica do clube...Apostar na formação até estou de acordo mas por amor de Deus é preciso ganhar jogos...A equipa até pode jogar mal mas é preciso vitórias...

Anónimo disse...

São Félix tinha tudo para ser feliz, tinha tudo para encher o símbolo de orgulho, pois seriam os primeiros a ter um plantel no futebol praticamente todo ele com jovens valores da formação. Com alguma tristeza vejo desvanecer este projecto ambicioso, pois ninguém mais queria que os atletas, equipa técnica as vitórias. Agora à que seguir em frente pois a vida não para nem acaba a primavera . . .

Anónimo disse...

1002

Anónimo disse...

1003

Anónimo disse...

O grande culpado pela demissão do mister Alexandre foi o Faria, para favorecer o treinador da cantera (futebol popular)!