29 de fevereiro de 2012

Grijó perde em Vila Meã e está cada vez mais pressionado


Local: Estádio Municipal de Vila Meã
Hora: 15h
Árbitro: José Carlos (AF Braga)

Vila Meã: Nélson, Daniel, André Santos (Jonas 27'), Miguel e Pinheiro, Lemos (Couto 71'), Mika (Hélder Calviño 44') e Mauro, Artur, Mesquita e Areias.
Treinador: Paulo César

Grijó: Hélder, Maté, Ricardo Viana, Bruno Volta e Artur, Diogo Leite, Dani (Vítor Hugo 85'), Bruno Carvalho (Chaves 68') e João, Loureiro e Bruno Faria (Cristiano 77').
Treinador: Óscar Nogueira

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-0

Marcadores: Artur (46')

Disciplina: Cartão vermelho para Bruno Volta (14') e Loureiro (22') do Grijó.

O Grijó foi derrotado pelo Vila Meã no passado domingo, por uma bola a zero, o que desde logo complicou ainda mais as contas dos gaienses, no que a um lugar entre os seis primeiros diz respeito. Desde cedo, os grijoenses viram a vida complicar-se, com as expulsões de Bruno Volta logo aos 14' e pouco depois de Loureiro (22'), fazendo com que a equipa joga-se cerca de 70' com apenas nove unidades em campo, vendendo mesmo assim cara a derrota.
Óscar Nogueira, treinador dos gaienses, não estava contente com o resultado final alcançado, nem com o trabalho da equipa de arbitragem, que viajou de Braga: "Deste atentado ao futebol, só quero dizer que oriento um grupo de homens com uma enorme dignidade e um estrondoso carácter. Explicando um pouco o porquê de estar orgulhoso dos meus jogadores, começo por dizer que nos primeiros 12' fomos superiores, aí uma falta ofensiva foi transformada em falta defensiva e vermelho ao meu capitão, respondemos com 10 mas logo a seguir aos 18' o Loureiro é carregado pelas costas á entrada da área e é expulso. Se já estávamos moribundos, aí mataram as nossas aspirações para este jogo", começou por dizer o treinador, que realça a atitude da sua equipa durante a partida: "Fomos sempre organizados e muito unidos, situação que o adversário teve dificuldades em ultrapassar, fazendo só um golo no primeiro minuto da segunda parte quando ainda acertavamos posicionamentos e beneficiaram de um ressalto. Daqui até ao fim do jogo há pouco a acrescentar, pois o nosso principal objectivo passou a ser não perder mais jogadores, mas mesmo assim devem ter tido medo e só deram 2' de compensação depois de cinco substituições e de o meu guarda-redes ter sido assistido durante algum tempo", atirou o técnico, que teceu mais críticas ao trabalho do árbitro, José Carlos: "Cabe-me assumir que este 'assalto' não nos tirou a ambição e que nos deu ainda mais força para continuar á procura do nosso objectivo de forma limpa e somente dentro das quatro linhas. Com estes homens vou até ao fim do mundo e vamos ficar nos seis primeiros, porque somos sem duvidas das quatro melhores equipas do campeonato. O que se passou em Vila Meã não é futebol, pelo menos no que não me incluo, é sim com futebol que vamos vencer quem não sabe andar e tenta estragar o futebol", rematou Óscar Nogueira.
A equipa recebe no próximo domingo o Leça, numa partida de capital importância para as aspirações dos gaienses.

Sousense vence o Rebordosa e volta ao segundo lugar


Local: Estádio 1º de Dezembro (Foz do Sousa)
Hora: 15h
Árbitro: Pedro Cabral (AF Ponta Delgada)

Sousense: Ricardo, Salvador, Daniel, Zé Augusto e Marques (Cláudio 85'), Vítor Hugo, Bruno Cunha e Norinho (Filipe Cândido 90+1'), Paulinho, Paulo Freixo e Pedro Sá (Ansiães 56').
Treinador: Guilherme Baldaia

Rebordosa: Adriano, Jerónimo (Nani 69'), Arnold, Ricardo e Gustavo, Sousa, Vítor e Hugo Costa, Pinto, Carlos e Barros (Daniel 89').
Treinador: Djão

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-0

Marcador: Paulinho (72')

O Sousense venceu no passado domingo o Rebordosa por uma bola a zero e regressou ao segundo lugar da classificação geral, embora em igualdade pontual com o Infesta, ambos com 36 pontos. A equipa de Guilherme Baldaia apenas apontou o golo a vinte minutos do final da partida, por intermédio de Paulinho, numa partida marcada pelo equilíbrio entre os dois conjuntos, com necessidades diferentes.
Guilherme Baldaia, treinador do Sousense, destaca a segunda parte da sua equipa, aludindo ao equilíbrio que patenteou o jogo: "Na primeira parte praticamos, juntamente com  o adversário, uma baixa qualidade de jogo tendo dai resultado o nulo ao intervalo, o que se aceitava plenamente. Na segunda parte imprimi-mos uma maior dinâmica e agressividade nas movimentações, resultando em várias situações de golo, onde somente por uma vez consegui-mos concretizar, diferença de golos que acho justa, visto que o Rebordosa fez também uma excelente segunda parte", ressalvou o treinador, que deu também os parabéns à sua equipa: "Quero felicitar os meus jogadores pela excelente época que estão a realizar, onde desde a primeira jornada que nos mantemos nos três primeiros lugares, e alcançamos o objectivo da época. Grupo fantástico, o mérito é todo deles", disse Guilherme Baldaia.
O Sousense joga no próximo domingo novamente em casa e recebe o líder, Cesarense, onde poderá aproveitar para encurtar distâncias, relativamente à primeira posição: "O próximo jogo irá ser com o primeiro classificado, o que por si só diz as dificuldades esperadas, mas temos que ganhar", concluiu o técnico.
A partida terá lugar no Estádio 1º de Dezembro, com início marcado para as 15h.

Avintes e São Félix empatam a uma bola


Local: Estádio do Avintes
Hora: 15h
Árbitro: Pedro Meireles

Avintes: Duarte, Telmo (Macedo), Renato, António, Campos e Beto, Rafael, Hugo e Décio, Avelino (Bruninho), Serginho e Nelson (Filipe).
Treinador: Sebastião

São Félix: Faria, andré, Júlio, Leal e Leandro, Luís Almeida, Tiago Gomes e Didi (Mota), Tiago Rocha (Alvarenga), Nélson Oliveira e Bruno (Tiago Costa)
Treinador: Manuel António

Resultado ao intervalo: 1-1
Resultado final: 1-1

Marcadores: Tiago Rocha (10') para o São Félix e Serginho (43') para o Avintes

Avintes e São Félix empataram a uma bola em partida realizada no passado domingo. As duas formações chegaram a este jogo numa série de resultados menos positivos, com os homens da casa sem vencer há cinco jogos, assim como o São Félix. As duas equipas entraram decididas a somar os três pontos, mas foram os visitantes quem primeiro se adiantou no marcador, por intermédio de Tiago Rocha, logo aos dez minutos de jogo. Antes do intervalo, Serginho empatou para o Avintes, estabelecendo o resultado final.
Manuel António, técnico do São Félix, disse que o jogo foi equilibrado, mas que a haver um vencedor, teria que ser a sua equipa: "Penso que foi um jogo equilibrado e bem disputado, mas onde o São Félix dispôs das melhores oportunidades de golo, inclusive um penalti falhado. Gostava de dar os parabéns à minha equipa pela forma como se apresentou, mas penso que perdemos dois pontos", disse o técnico.
Na próxima partida o São Félix recebe o Crestuma, num jogo onde os gaienses esperam voltar a somar três pontos: "Será mais um dérbi. O Crestuma está a fazer um excelente campeonato, mas nós estamos cientes do nosso valor e vamos jogar para ganhar, porque temos equipa para isso", rematou o técnico.
Já o Avintes visita o Leça do Balio.

Crestuma sem vencer há cinco jogos


Local: Centro de Estágio do Olival
Hora: 15h
Árbitro: Manuel Moreira

Crestuma: Paulo Rocha, Samuel, Nogueira, Paulo Novo e Gil, Alcino (Machadinho 77'), Nélson e Teixeira, Diogo (Campos 43'), Marcelo e Nuno (Igor 85').
Treinador: Carlos Rocha

Ataense: Rui, Ribeiro, Dani (Paulo 75'), Filipe e Cruz, Brandão, Gui e Ivo (Márcio 65'), Marco, Hugo e Fábio (André 25').
Treinador: Fernando Mendes

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-0

Disciplina: Cartão vermelho a Nogueira (90+3') do Crestuma

Crestuma e Ataense empataram a zero, em partida disputada no passado do domingo, no Centro de Estágios Olivel /Crestuma. Este é já o quinto jogo seguido sem qualquer vitória para os gaienses, onde somaram três derrotas e dois empates, sendo igualdos em pontos pelo Sobrado, com as duas equipas a somar 42 pontos. 
Fernando Mendes, treinador do Ataense, aponta alguns erros na finalização da sua equipa, como factor determinante para o nulo final: "Como eu disse na antevisão deste jogo o pormenor seria decisivo para a atribuição dos três pontos em disputa, por conseguinte e apesar de tecnicamente e tacticamente a minha equipa ter estado muito bem, mais uma vez na zona de finalização fomos incompetentes e por este motivo perdemos dois pontos", afirmou o técnico.
O Ataense joga no próximo domingo, em casa, frente ao Cerco do Porto e o técnico espera uma partida difícil: "Quanto ao próximo jogo, não fugirá à regra, difícil, muito difícil, em que só com muito trabalho e muita luta somaremos os três pontos, vamos continuar a trabalhar para que isso aconteça", referiu Fernando Mendes. Já o Crestuma visita o São Félix.

Leverense perde com Valonguense nos instantes finais


Local: Estádio do Leverense
Hora: 15h
Árbitro: André Dias

Leverense: Faria, Jorginho, Fernando, Pinho e Djaló, André, Agostinho e Bruninho (Luisinho 90+1'), Vidal (Adriano 46'), Joel e Bruno Vasconcelos (Nelinho 70').
Treinador: Sérgio Espírito Santo

Valonguense: Dida, Nuno, Barbosa, Ricardo e Vítor, Gil, Queirós e Baresi, Pedro Marques (Vitinha 75'), Igor (Serginho 85') e Palheira.
Treinador: José Cunha

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-1

Marcador: Baresi (90+4')

Disciplina: Cartão vermelho a Joel (86') do Leverense

O Leverense não conseguiu repetir a gracinha da passada semana e foi derrotado pelo Valonguense por uma bola a zero. O golo foi apontado já no decorrer do segundo tempo, mesmo muito perto do apito final, por intermédio de Baresi. A partida foi equilibrada, com o Leverense a jogar da mesma forma que joga sempre em casa, obrigando os adversários a defenderem bem. Até este jogo, a equipa de Sérgio Espírito Santo apenas tinha perdido por uma vez, com o Leça do Balio, na 14ª jornada.
Sérgio Espírito Santo afirma
que o Leverense foi melhor
e merecia a vitória
Para o treinador do Leverense, esta foi uma partida equilibrada, onde a sua equipa teve momentos de superioridade sobre o adversário: "O jogo com o Valonguense, pautou-se por uma primeira parte equilibrada , mas mal jogada, onde não existiram lances de perigo junto das duas balizas. Na segunda parte alteramos a equipa e passamos a dominar a partida, com melhor circulação de bola. Com o Valonguense a tentar contrariar, defendendo bem e procurando o contra ataque, onde só conseguiam criar perigo em lances de bola parada", analisou o Sérgio Espírito Santo, que aponta o minuto 80 como determinante no desenrolar do encontro, devido à expulsão de Joel: "Aos 80 minutos quando dominávamos o adversário e criávamos mais perigo, ficamos reduzidos a 10 atletas em virtude da expulsão do nosso avançado Joel, quando este sofre uma falta e vê o cartão vermelho ao que indica por palavras dirigidas ao árbitro. A partir dai, o jogo voltou a ser equilibrado, onde a equipa do Valonguense nos obrigou a baixar a equipa, mas também com constantes faltas marcadas na nossa zona defensiva", revelou o técnico, que afirma que a sua equipa merecia a vitória neste jogo: "Mesmo criando poucas oportunidades de golo, fomos superiores ao adversário, onde não faltaram lances polémicos contra a minha equipa e por tudo o que se passou em campo, merecíamos a vitória", não abordando o trabalho do árbitro, no entanto, deixando uma frase curiosa: "Como já em jogos anteriores disse que não queria falar das arbitragens, vou continuar a respeitar essa minha vontade. Mesmo tendo a minha opinião e analisando os lances de outra forma, acho que todos nós temos dias menos bons e se um dia somos favorecidos com esses erros, noutros dias podemos ser penalizados desde que não sejam intencionais", concluiu o técnico.
O Leverense joga no próximo domingo, em casa do Sobrado.

28 de fevereiro de 2012

Arcozelo vence Leça do Balio e ganha vantagem na luta pela manutenção


Local: Estádio do Arcozelo
Hora: 15h
Árbitro: João Mota Sousa

Arcozelo: Hélder, Barbosa, Bruno, Tiago Santos e Tigana (Vinagre 60'), Valter (Tiago Silva 65'), Nélson e André, João Vaz, João Reis (Tiago Castro 65') e Elói.
Treinador: Alfredo Mendes

Leça do Balio: Dinis, Ruca (Estrela 68'), Virgílio, Rui Stam e Rúben (Paulo Cardoso 30'), Pimentel, João (Simão 75') e Barros, Vítor, Bessa e Carlitos.
Treinador: António Freitas.

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-0

Marcador: Tiago Santos (65')

O Arcozelo venceu o Leça do Balio no passado domingo, por uma bola a zero, e conquistou mais três importantes pontos na luta pela permanência na 1ª Distrital, somando agora 23 pontos, mais oito que o Rio Moinhos, primeiro clube abaixo da linha de água. O golo da equipa gaiense foi apontado já no decorrer do segundo tempo, por intermédio de Bruno, aos 46', e foi suficiente para os arcozelenses vencerem o Leça do Balio, apesar de ainda terem visto Tiago Santos ser expulso e jogar os últimos vinte minutos com 10 jogadores.
Alfredo Mendes, treinador do Arcozelo, referiu que esta vitória foi muito importante: "Foi uma vitória importante que nos permite agora encarar os restantes jogos com outro espírito, mais tranquilos. Fomos uns justos vencedores, entramos fortes e com intensidade na procura do golo, o qual só surgiu na segunda parte. Depois do golo tivemos que saber sofrer, devido a um jogador do Arcozelo ter sido expulso, demonstrando uma grande solidariedade", disse o técnico, que deu ainda os parabéns à sua equipa. "Os jogadores do Arcozelo estão de parabéns porque acreditaram que todos juntos podemos ser uma excelente equipa de futebol".
O Próximo jogo é no domingo, com o Rio Moinhos, e será uma partida importante para os gaienses, porque podem aumentar a diferença pontual para este adversário, que está abaixo da linha de água. Alfredo Mendes apenas quer vencer: "Quanto ao jogo de domingo  vai ser um jogo difícil, mas nós queremos jogar para ganhar os três pontos e continuar a subir na tabela classificativa", disse o técnico.

Torrão goleado em casa do Sobreirense


Local: Campo da Devesa (Paredes)
Hora: 15h
Árbitro: Diogo Oliveira

Sobreirense: Fabiansky, Poças, Tangerina, Ricardo (Tiago Sousa 53') e Domingos (Tiago Pereira 70'), Rui Miguel, André Silva e Pedro Lobo (Otero 53'), Miguel, Joãozinho e Guimarães.
Treinador: Tiago Pinto

Torrão: Arouca, Pedro, Artur, Vitinha (Pedrosa 53') e Monteiro, Fred, Fábio (Hugo Nogueira 71') e Marcos Almeida, Hugo Moreira, Guilherme e Sani (Peixoto 53').
Treinador: Renato Castelo

Resultado ao intervalo: 1-1
Resultado final: 5-1

Marcadores: Artur (19') para o Torrão e Poças (23'), Domingos (46'), André Silva (57' de g.p.), Otero (78') e Tiago Pereira (90') para o Sobreirense

O Torrão acabou goleado na visita ao terreno do Sobreirense, no passado domingo, por cinco bolas a uma. A formação gaiense até entrou no jogo a vencer, com mais um golo de Artur, mas depois não conseguiu suster a reacção da equipa da casa, que ainda empatou no primeiro tempo, por Poças e depois consumou o resultado final na segunda metade da partida.
Ainda assim, Renato Castelo, técnico dos gaienses, aponta algumas críticas à equipa de arbitragem de Diogo Oliveira: "Um clube como o Torrão, jogar contra estes clubes de interior do nosso distrito, torna-se uma presa fácil, demasiado fácil para eles. Primeiro porque as nossas ambições são de fazer um campeonato tranquilo, depois porque não temos uma massa associativa e numerosa que nos acompanhe. Tudo isto para dizer que quando estávamos a fazer o aquecimento, o trio de arbitragem era cumprimentado como se fossem familiares. Na chamada ao cumprimentar os árbitros e desejar um bom jogo, o que ouvi de resposta foi "Sr. treinador, vamos a ter calma no banco:" Antes de começar o jogo é difícil eu estar nervoso", desabafou Renato Castelo, que apontou alguns lances, que na opinião do técnico, são determinantes para o desfecho final: "Com um resultado tão dilatado, não há muitas justificações. As ambições do Sobreirense, não são muitas, talvez seja de sair do ultimo lugar, mas com arbitragens tão habilidosas fica difícil de conseguir motivar os jogadores. Perdi, mas o que me deixa mais chateado é ter duas expulsões completamente absurdas porque três "caramelos" que são os únicos a ganhar dinheiro nesta competição, assim o entendem. No fim do jogo quando os confrontei com as decisões, falam com uma arrogância enorme e ameaçam com castigos e expulsões no fim do jogo", afirmou o treinador.
O próximo jogo do Torrão é em casa, frente ao Melres, no próximo domingo.

Melres vence Pasteleira e sobe ao oitavo lugar


O Melres venceu o Pasteleira no passado domingo, por duas bolas a zero e ascendeu ao oitavo lugar da classificação, com 26 pontos somados até ao momento. Os golos foram marcados ainda durante o primeiro tempo, no espaço de cinco minutos, através de Rui aos 25' e Pessego aos 30'.
Paulo Pêgas, treinador dos gondomarenses, destacou as dificuldades que teve para formar a equipa para esta partida, tendo baixas de última hora, mesmo antes do início da partida: "Tínhamos algumas ausências para este jogo e antes poucos minutos do início, recebemos outras notícias menos boas, mais três titulares que não poderiam comparecer ao jogo, devido a doença e pelo falecimento de familiares e isso limitou a dinâmica da equipa", referiu o treinador, que destacou no entanto, o espírito colectivo dos seus jogadores: "O espírito colectivo foi determinante neste encontro. Na primeira parte entramos fortes, com velocidade e com uma organização ofensiva alta. Criamos três oportunidades de golo e onde acabamos por marcar. Na segunda parte um jogo menos bem conseguido a nível técnico. Com as duas equipas encaixadas, o jogo foi disputado na zona central. Devido a dinâmica de alguns jogadores e a duas lesões que aconteceram nesse período, acabamos por dar iniciativa ao adversário e jogar em transição. Não houve grandes oportunidades de golo e no conjunto das duas partes o Melres é um justo vencedor", analisou o treinador.
O próximo jogo é já no domingo, com o Melres a visitar o Torrão.

26 de fevereiro de 2012

Segunda parte forte do Gulpilhares garante mais três pontos


Local: Estádio do Gulpilhares
Hora: 15h
Árbitro: Valter Gouveia, auxiliado por Tiago Nunes e Vítor Costa

Gulpilhares: Jorge Matos (Nélson 77'), Pidoa, Valente, Zé Nando e Carlos, Zeca (Fábio 60'), Soutelo, Diogo e Batata, Pereira (Ludovic (73') e Rooney.
Treinador: Alexandre Coutinho

Marco 09: Sérgio, Hugo, Humberto, Gato (João Pedro 32') e Marcelo, Saraiva, Tozé, Brito e Tiago (Joel 69'), Fábio (Diogo 52') e Filipe Sousa.
Treinador: João Paulo

Resultado ao intervalo: 0-1
Resultado final: 2-1

Marcadores: Filipe Sousa (45') para o Marco 09 e Pereira (49') e Batata (51') para o Gulpilhares

Entrada forte no segundo tempo valeu três pontos ao Gulpilhares

Marcoenses não estavam à espera de uma reacção tão forte dos gaienses e perderam mais três pontos
O Gulpilhares venceu esta tarde o Marco 09 por duas bolas a uma, numa partida que valeu pelos segundos 45' de jogo. Depois de ir para intervalo em desvantagem, a entrada forte da equipa na segunda metade proporcionou a reviravolta aos gaienses.
Uma primeira parte sem motivos de interesse, foi o que as duas formações apresentaram durante os primeiros 45 minutos deste jogo, onde a luta a meio campo foi o que de mais importante o jogo registou, com o Gulpilhares a tentar um futebol mais directo, na procura da velocidade dos dois homens da frente, Rooney e Pereira, mas sem que conseguissem incomodar Sérgio, a não ser em remates de longe, mas que raramente levavam a direcção da baliza, à excepção de um remate de Soutelo aos 32' que o guardião do Marco 09 não segurou, mas que Rooney não aproveitou na hora da recarga. Do outro lado, um Marco 09 com o seu futebol habitual, apoiado e com bola no pé, mas que foi esbarrando na boa organização defensiva da equipa da casa, utilizando a mesma solução dos remates de longe, mas sem direcção certa. Contudo, à entrada para os últimos dez minutos de jogo, os marcoenses ganharam algum ascendente e começaram a criar mais perigo perto da baliza de Jorge Matos, como o lance conduzido por Tozé, na esquerda do ataque, mas o centro do médio apanhou Filipe Sousa e Diogo um nada atrasados, com a bola a passar à frente da baliza do Gulpilhares sem que ninguém a desviasse. Aos 45' Tiago assistiu Filipe Sousa, mas o jogador perdeu tempo de remate na rotação e permitiu o corte de Zé Nando para canto. Na sequência do canto, a defesa do Gulpilhares afastou mal a bola e permitiu o remate enrolado de Tiago, com Filipe Sousa a desviar de Jorge Matos e a fazer o primeiro golo do encontro, mesmo em cima do apito do árbitro.
A segunda parte foi completamente diferente, pelo menos os primeiros 20 minutos, tudo porque o Gulpilhares entrou de forma transfigurada e no espaço de cinco minutos virou o jogo a seu favor, primeiro aos 49' com um centro de Soutelo, da direita do ataque dos homens da casa, que apanhou Pereira sem marcação na área, com o avançado a cabecear sem hipóteses para Sérgio, repondo a igualdade no marcador. Não foi preciso esperar mais que dois minutos para ver novo golo e tudo começa numa excelente combinação entre Pereira e Pidoa pela esquerda, com a defesa dos marcoenses a atirarem para canto. Do canto, apontado por Soutelo, Batata surgiu sem marcação ao primeiro poste e atirou para o fundo das redes de Sérgio, dando a volta ao marcador. Completamente atordoada a equipa do Marco 09 começou a jogar de forma mais rápida, muitas vezes atabalhoada, o que proporcionou algumas ocasiões de golo ao Gulpilhares, que foram sendo desperdiçadas, principalmente por Rooney, que perdeu dois golos quando surgiu isolado perante Sérgio. A vencer, o Gulpilhares geriu o jogo de outra forma, voltando a dar iniciativa do mesmo aos visitantes, mas estes, sem a serenidade necessária, foram desperdiçando algumas situações que poderia levar algum perigo para a baliza de Jorge Matos. à entrada para os últimos 20 de jogo, este voltou a entrar numa toada mais lenta, tudo porque Tozé entrou fora de tempo sobre Jorge Matos, lesionando o guardião dos gaienses, o que proporcionou uma paragem prolongada para assistência ao guarda-redes, quebrando o ritmo de jogo. Jorge Matos acabou por ser mesmo substituído por Nélson, que apenas teve que segurar dois remates dos marcoenses, ambos de fora da área e à figura, primeiro de Filipe Sousa e depois de Brito. Nos instantes finais, o Marco 09 ainda forçou o jogo directo, mas sem sucesso, acabando por perder a partida e também deixando definitivamente a ideia da subida de divisão.

Declarações

Alexandre Coutinho estava
satisfeito com o resultado
Alexandre Coutinho (Treinador do Gulpilhares): "Antes de mais, queria dar os parabéns à minha equipa, porque tive que mostrar que estava descontente ao intervalo. Não é esta a postura que costumam ter, entram sempre com intensidade alta, hoje adormeceram, também por culpa do adversário. Ao intervalo corrigimos algumas coisas, demos mais agressividade e a equipa interpretou isso da melhor maneira, conseguimos dar a volta ao jogo, mas acabamos por sofrer, não por mérito do Marco 09, mas por mérito da equipa de arbitragem. A segunda parte teve sentido único, faltas duvidosas sempre contra o Gulpilhares e é esse o meu descontentamento. Quero dar os parabéns aos meus jogadores, pois conseguiram a quinta vitória seguida, algo que já não era alcançado a mais de oito anos no clube. Vamos agora a Perosinho com intenção de conquistar mais três pontos e vamos ver até onde é que a equipa vai".

João Paulo assume que a subida
já é uma miragem
João Paulo (Treinador do Marco 09): "Na primeira parte fizemos um golo e fomos para intervalo a vencer. Tivemos logo uma contrariedade, que foi a lesão do Gato. No início da segunda parte sofremos dois golos e o jogo reduziu-se a isso, porque o Gulpilhares passou a jogar de uma forma mais directa e nós não conseguimos contrariar esse futebol. Justifica-se a vitória do adversário pela segunda parte. A subida já era difícil, mas todos acreditávamos. Agora tudo fica mais distante. Também começa a pesar a diferença pontual na cabeça dos jogadores e estamos numa fase complicada. Vamos tentar a melhor classificação possível, é esse o nosso objectivo".

Classificações - 2ª Nacional Zona Centro


Ponto a ponto o Coimbrões vai conseguindo os seus intentos. A equipa de Sérgio Ribeiro empatou em casa do Cinfães a zero, mas apesar disso, subiu à sexta posição com 30 pontos. Já o Boavista empatou em casa do Madalena a uma bola, mantendo-se sem vencer há quatro partidas. De referir que o resultado que aparece no quadro acima é referente ao jogo que já havia sido realizado a 23 de Outubro do ano passado, quando os açorianos solicitaram a troca da ordem dos jogos com os axadrezados. O Gondomar deslocou-se ao terreno do Padroense e acabou derrotado por uma bola a zero caindo para a 11ª posição.


Classificações - 3ª Nacional Série B


Está cada vez mais complicada a vida do Grijó no campeonato. A equipa gaiense foi jogar ao terreno do Vila Meã e acabou derrotada por uma bola a zero, dispondo agora de apenas um ponto de vantagem precisamente sobre este adversário, na luta por um lugar entre os seis primeiros classificados. A equipa gaiense tem uma oportunidade de ouro na próxima jornada, uma vez que recebe o Leça, sendo esta a última partida em casa dos grijoenses nesta fase do campeonato.
O Sousense venceu o Rebordosa por uma bola a zero e voltou a subir à segunda posição, aproveitando o deslize do Infesta em Lamego, para igualar os matosinhenses com 36 pontos.


Classificações - Divisão de Honra


As coisas continuam a correr mal aos comandados de Mário Heitor, uma vez que o Oliveira do Douro somou nova derrota, desta feita em casa do ex-último classificado, o Vilarinho, que por força destes três pontos deixou essa mesma posição, trocando o Nun'Álvares, que perdeu em Serzedo por uma bola a zero.
O Dragões Sandinenses foi goleado em casa, pelo Pedras Rubras, por quatro bolas a zero, sendo uma das derrotas mais pesadas da temporada para os homens de Ricardo Jorge. O Canidelo conseguiu vencer em Custóias por 1-2 e está agora a seis pontos da zona de despromoção, enquanto que o Candal também recebeu e bateu o Rio Tinto, mas por 3-1 estando agora na sétima posição. O Salgueiros 08 abriu a jornada no passado sábado, ao receber e vencer o Nogueirense por uma bola a zero, com golo de Correia já muito perto do final do encontro, aproveitando o deslize do Ac. Felgueiras em casa, frente ao Baião, onde empatou a zero, diminuindo assim para nove pontos a diferença pontual para os lideres da prova.


Classificações - 1ª Distrital Série 2


Na 1ª Distrital, o destaque vai para o empate emotivo entre o Foz e o Perosinho, com o resultado a ser uma igualdade a quatro bolas. Assim, o Perosinho voltou a perder pontos para o Valonguense, que com a vitória em casa do Leverense, isola-se na liderança da tabela. O Gulpilhares conseguiu a quinta vitória seguida no campeonato, algo que já não acontecia há muito tempo. A formação de Alexandre Coutinho ainda esteve a perder, mas conseguiu dar a volta ao marcador e somar mais três pontos. O Arcozelo voltou a vencer, desta feita o Leça do Balio e está cada vez mais longe da zona de despromoção, tendo agora mais oito pontos que o Rio Moinhos, primeiro clube abaixo da linha de água. A situação está cada vez mais complicada para o Vila FC, que perdeu a primeira de 11 finais, frente ao Atl. Rio Tinto. A equipa está no último lugar, com 14 pontos e vê já o Cerco do Porto com mais quatro pontos. Avintes e São Félix empataram a uma bola e o Crestuma perdeu algum gás e cedeu mais dois pontos, desta feita em casa, frente ao Ataense, ao empatar a zero, vendo o Sobrado vencer o Cerco do Porto e ultrapassar os gaienses na classificação geral.


Classificações - 2ª Distrital Série 2


O Valadares continua a ganhar terreno aos mais directos perseguidores na luta pela subida de divisão. Os gaienses receberam e despacharam o Ramaldense por 4-1, aproveitando assim a folga do Progresso para aumentar a distância pontual para o segundo classificado, que está agora nos oito pontos, apesar de os portuenses terem menos um jogo. A equipa de Paulo Alexandre, está cada vez mais com um pé na 1ª distrital, pois a vantagem sobre o terceiro classificado é já de nove pontos. O Pedroso pode ter dito adeus ao sonho da subida de divisão, este ano mais cedo que o normal. Apesar de a equipa gaiense ter menos duas partidas, a derrota de hoje em casa, frente ao Sp. Cruz, por 1-2, deixa a formação de Seminário em maus lençóis. O Torrão foi goleado na deslocação ao terreno do Sobreirense, perdendo por cinco bolas a uma. O Boavista B visitou o difícil campo do Soalhães e venceu por uma bola a zero, mantendo aceso o objectivo da subida de divisão. Já o Medense foi goleado em casa do Sp. Campo por 6-2, enquanto que o Melres recebeu e bateu o Pasteleira por duas bolas  azero. O Gens continua firme na luta por um lugar de subida e este domingo recebeu e bateu o Paços de Gaiolo por duas bolas a uma.


Mário Heitor - "Esperamos quebrar ciclo negativo"


O Oliveira do Douro joga na tarde deste domingo em casa do Vilarinho, um terreno habitualmente difícil para quase todos os adversários que lá jogam, por ser pelado e também pela forma de jogar da formação de Santo Tirso.
A equipa de Mário Heitor não vence há seis partidas e no rescaldo do empate no passado domingo com o Serzedo, depois de estarem a vencer por duas bolas a zero, o técnico referiu que tinha mandado descer o bloco da sua equipa para jogar em contra-ataque, perante um Serzedo em desvantagem numérica e também no marcador. Questionado sobre se terá sido a melhor opção, Mário Heitor afirma que se tivesse ganho o jogo, toda a gente diria que sim: "As analises quando o jogo acaba são muito fáceis. Gostava de lembrar que mesmo dando a iniciativa de jogo ao adversário, tivemos três ou quatro oportunidades para marcar. Se tivéssemos marcado, estávamos a falar que a opção tinha sido boa, como não ganhamos... é o futebol", disse o técnico, que comentou ainda a insatisfação de alguns adeptos presentes no Estádio Municipal, dizendo que não está agarrado a nada: "Não estou agarrado a nada. Se as pessoas acham que aquilo que faço, com as condições que tenho, não é suficiente, só temos que falar. O que sei é que a direcção está satisfeita. Os adeptos, como qualquer pessoa que gosta de um clube não estão satisfeitos, eu não estou e os jogadores também não. Desde o início da época ficamos sem 12 jogadores, fazer mais é difícil", desabafou Mário Heitor.
A formação oliveirense desloca-se então ao terreno do Vilarinho, onde apenas jogou na temporada de 2005/2006, a última dos oliverenses nos distritais, pois subiram nesse ano, com o jogo a terminar empatado a uma bola, resultado que Mário Heitor espera que não se repita: "Vamos jogar num campo pelado, difícil, contra uma equipa que tem somado a maior parte dos pontos que tem em casa. Vamos a Vilarinho com o intuito de quebrar esta série menos positiva e trazer de lá os três pontos", disse o técnico, que não poderá contar com Nicola que foi operado, Serpa que se lesionou contra o Serzedo e vai fazer uma ressonância, tendo em dúvida as utilizações de Zé Coutinho, Rochinha e Paulo Figueiredo.
A partida tem início marcado para as 15h, e arbitragem de Joaquim Silva Pinto.

25 de fevereiro de 2012

Modicus visita hoje o Loures para o campeonato


O Modicus visita hoje o Loures, 13º classificado, em partida a contar para o campeonato nacional, que está de regresso depois de paragem para o Campeonato da Europa da modalidade, onde Portugal esteve presente.
A formação gaiense, quarta classificada com 35 pontos, é favorita para este encontro, mas apesar disso, Gabriel Pereira, terceiro melhor marcador da prova, espera dificuldades: "Vamos defrontar um adversário muito difícil, que joga em casa, procura pontos para a manutenção e que nos criou muitas dificuldades em nossa casa mas nos estamos empenhados em agarrar o 3º lugar e vamos assumir o jogo para trazer os três pontos numa jornada que nos pode ser benéfica em relação a adversários directos", disse o atleta, que vê a sua equipa cada vez mais forte na prova: "Vimos a ficar cada vez mais fortes e mais entrosados uns com os outros e acredito que, nesta fase final do campeonato, vamos atingir os nossos objectivos e dar alegrias ao clube", disse.
Sobre a partida do passado sábado, frente ao Os Torpedos, que os gaienses venceram por 2-7, seguindo assim para os quartos de final da Taça de Portugal, onde encontrarão agora o Portela, Gabriel Pereira disse que "fizemos um excelente jogo e conseguimos a passagem a fase seguinte que era o principal objectivo. Depois de uma longa paragem, era importante reactivar os níveis de concentração e profissionalismo para o jogo e foi assim que conseguimos o resultado desnivelado, pois desde o primeiro minuto ate ao ultimo não houve facilitismo da nossa parte", afiançou o jogador, que deixou ainda um desejo: "Tivemos sempre o jogo controlado, deu para dar minutos a todos os jogadores e no fim, celebramos a passagem a fase seguinte onde depois do sorteio ter sido favorável para nos, queremos estar na Final da Taça de Portugal", concluiu Gabriel Pereira.
A partida com o Loures joga-se no Pavilhão Paz e Amizade e terá início às 16h de hoje.

Óscar Nogueira - "Temos três finais"


O Grijó disputa no próximo domingo, frente ao Vila Meã, mais um jogo decisivo na luta por um lugar nos seis primeiros classificados, que confere desde logo a manutenção na 3ª Divisão Nacional, no entanto, Óscar Nogueira está consciente das dificuldades que o esperam para esta partida, pois o adversário ainda acalenta esperanças de conseguir chegar a um desses lugares e esta é uma partida decisíva, segundo o técnico dos gaienses, para os amarantinos: "O jogo em Vila Meã é importante para nós, mas decisivo para eles. Iremos aborda-lo com respeito mas com muito empenho e rigor, para ultrapassar este bom adversário que joga ali a sua última cartada", afirmou o técnico.
O Vila Meã vem de duas importantes vitórias, sobre o Infesta e o Sp. Mêda, e estará com a moral em alta, até porque tem a vantagem de jogar duas destas últimas três partidas em casa, ao contrário dos grijoenses. Uma vitória dos gaienses poderá ser praticamente decisiva para as contas da manutenção e Óscar Nogueira sabe disso: "O adversário têm bons jogadores e vai criar dificuldades mas nós temos de as superar e sair de lá com a consciência tranquila quanto ao nosso dever. Temos três finais e as finais é para se vencer, esta é a primeira", concluiu o treinador.
A partida joga-se  a partir das 15h, no Estádio Municipal de Vila Meã e terá arbitragem de José Silva, da AF Braga.

Alexandre Coutinho - "Jogo com equipa do nosso campeonato"


O Gulpilhares, equipa sensação das duas últimas jornadas, recebe nó jogo de domingo o Marco 09, formação que ainda sonha com a subida de divisão. Os gaienses estão a atravessar uma das melhores fase na prova e tão só em duas partidas tornaram-se o  melhor ataque do campeonato, com 43 golos, ao marcarem 14 tentos em 180 minutos, nos jogos frente ao Rio Moinhos e Vila FC, vencendo os dois conjuntos pelos mesmos 7-1.
Alexandre Coutinho, técnico da equipa, espera por isso, conseguir os três pontos, frente a uma equipa do seu campeonato: "Vamos jogar contra uma equipa do nosso campeonato. Estamos à espera de um jogo difícil e queremos ganhar para somar mais três pontos, até porque eles vêm de uma resultado menos positivo ao contrário de nós. Queremos a vitória, porque queremos ir mais fortes para a próxima série de jogos", disse o técnico, aludindo às próximas jornadas, onde irá defrontar o Perosinho, o Valonguense, o Sobrado e o Ataense, por esta ordem.
A partida é no Estádio do Gulpilhares, com início marcado para as 15h e arbitragem de Valter Gouveia.

Vila FC joga a primeira de onze finais com o Atl. Rio Tinto


O Vila FC está numa posição incómoda na classificação geral. É o último classificado e o primeiro clube acima da linha de água, o Cerco do Porto, está à distância de quatro pontos. Longe das exibições da última temporada e que valeram à equipa a subida à 1ª Distrital, o conjunto de Soares dos Reis está a atravessar um momento menos bom na prova, no entanto, Gonçalo Silva, treinador da equipa, acredita na resposta dos seus jogadores para o que falta de campeonato: "Faltam 11 jogos que serão 11 finais para nós, a primeira é já com o Rio Tinto, onde vamos dar tudo para trazer um resultado positivo, mesmo sabendo que vamos ter como adversários não só o Rio Tinto como o campo pelado, mas nós queremos muito ganhar", disse o técnico sobre a partida de amanhã, que levará a equipa a defrontar o Atl. Rio Tinto, conjunto que está praticamente com a manutenção assegurada. O Vila vem de uma derrota pesada em casa, com o Gulpilhares, onde perdeu por 1-7 e irá certamente dar tudo por tudo para limpar a imagem deixada nesse jogo.
A partida tem início às 15h, no campo do Atl. Rio Tinto e será dirigida por Luís Rocha.

Leverense 'empata' Perosinho e recebe Valonguense


O Leverense empatou no passado domingo com o Perosinho a uma bola, o que fez com que a equipa de Allen perdesse novamente o primeiro lugar isolado, dividindo essa posição com o Valonguense, curiosamente o próximo adversário dos homens de Sérgio Espírito Santo no jogo de amanhã.
Relativamente ao jogo do passado domingo, o técnico do Leverense destaca que a sua equipa poderia ter saído de Perosinho com os três pontos: "Entramos muito bem no jogo, onde aos cinco minutos já estávamos em vantagem, tendo oportunidade de ampliar o resultado para 2-0 aos sete minutos de jogo, mas na jogada seguinte o Perosinho chegou à igualdade", começou por analisar o técnico, que gostou da atitude da sua equipa fora de casa: "Vi um Leverense com uma grande atitude fora de casa, coisa que já não assistia há algum tempo, tendo demonstrado que com uma boa organização, somos fortes como equipa e podemos vencer qualquer adversário, desde que acreditemos. Podíamos ter sido melhor na qualidade de jogo", afirmou Sérgio Espírito Santo.
Para o jogo de amanhã, em casa, o treinador diz que o adversário terá que suar muito se quiser sair de Gaia com os três pontos: "O Valonguense para nos ganhar vai ter que ser muito forte em campo, já que se os meus jogadores estiverem a um bom nível físico e psicológico, será muito complicado para o Valonguense sair daqui com pontos", no entanto, o técnico lamenta algumas contrariedades que impedem de apresentar o melhor onze: "Apesar de continuarmos a ter muitos problemas internos, que nos impedem de apresentar a melhor equipa em campo para cada jogo, vamos tentar manter a onda de bons resultados caseiros contra esta equipa do Valonguense, que é um dos lideres deste campeonato", concluiu o treinador.
O jogo está agendado para amanhã, às 15h, no Estádio do Leverense e com arbitragem de André Dias.

24 de fevereiro de 2012

Allen espera voltar rápidamente à liderança isolada

O Perosinho não foi além de um empate no jogo do passado domingo, em casa, com o Leverense, a uma bola. A equipa equipa de Sérgio Espírito santo até entrou a vencer com um golo de Joel logo aos oito minutos, mas apenas dois minutos depois Pedrito reestabeleceu a igualdade, resultado que durou até ao final da partida.
O técnico do Perosinho refere que este jogo até poderia ter durado mais tempo, que a sua equipa não iria conseguir marcar: "Foi um jogo em que poderíamos estar lá o tempo todo que não marcávamos. Entramos mal, sofremos um golo, depois empatamos, mas os jogadores tentaram tudo e não estiveram inspirados. Não lhes posso apontar nada, pois foram de uma entrega excelente, mas não conseguimos vencer. Massacramos por completo o Leverense, mas não marcamos", desabafou o técnico, que viu pela segunda vez esta temporada a sua equipa perder a liderança isolada da classificação uma semana depois de a conquistar.
No próximo domingo, o Perosinho joga em casa do Foz, uma das equipas que Allen mais gostou de ver actuar em Perosinho: "Vamos ao Foz para vencer. Foi uma das equipas que mais me agradou em Perosinho, mas vamos para conquistar os três pontos e tentar alcançar novamente a liderança isolada da classificação", disse o técnico, mas para isso acontecer, o Valonguense tem que ceder, precisamente em casa do Leverense, onde até ao momento apenas o Leça do Balio conseguiu vencer.
O jogo disputa-se no Complexo Desportivo de Leça do Balio, às 15h, com arbitragem a cargo de João Oliveira Martins.

Remelgado espera atitude diferente frente ao Custóias


António Remelgado, técnico do Canidelo, não gostou da exibição da sua equipa no passado domingo, frente ao Candal, que terminou com derrota da sua equipa por 3-4, referindo depois que "faltou entreajuda e discernimento para um jogo melhor conseguido".
No próximo domingo o Canidelo desloca-se a Custóias, uma equipa que está a lutar pela permanência, assim como os gaienses, apesar de o Canidelo estar ligeiramente mais confortável que o conjunto de Matosinhos na tabela classificativa. No entanto, não há margem para errar e António Remelgado chama a atenção para isso mesmo, na antevisão do encontro: "Espero que os que estiveram menos bem no jogo do passado domingo, estejam melhores e mais fortes e que respondam ao desafio lançado há algumas semanas, de conquistarem a manutenção o mais rápido possível. Faltam apenas 12 pontos para conseguirmos esse objectivo", atirou o técnico.
O frente ao Custóias, no próximo domingo tem início marcado para as 15h e será disputado no Complexo Desportivo de Custóias, onde no último confronto entre estes dois conjuntos, em 2008/2009 se registou um empate a uma bola.

Dragões Sandinenses recebem Pedras Rubras


O Dragões Sandinenses recebe no próximo domingo o Pedras rubras, numa partida com história entre estes dois clubes, que se defrontaram na maior parte das vezes na 2ª Divisão Nacional. A formação gaiense leva uma larga vantagem de vitórias no Estádio do Tourão sobre os maiatos, apesar de nas duas últimas vezes em que defrontaram, a vitória ter sorrido aos azuis e brancos.
Ricardo Jorge, treinador dos sandinenses, espera que a sua equipa faça um jogo à medida das suas capacidades: "Vai ser um jogo complicado, mas também tudo nos acontece. Lesões, jogadores doentes, foi o Xavier que se lesionou, o Tozé esteve doente, o Nuno Velha está com problemas físicos", desabafou o técnico, que disse também que a sua equipa poderia estar a fazer um campeonato diferente: "Estamos a fazer uma boa época, mas podíamos estar a realizar uma temporada diferente. Tudo tem a ver com a concentração e o querer dos meus jogadores", disse Ricardo Jorge.
Para a história, ficam os oito confrontos anteriores entre estas duas equipas, com os gaienses a terem um registo de cinco vitórias, um empate e duas derrotas, na temporada 2008/2009 por 0-1 e em 2009/2010 por 1-3.
A partida é no Estádio do Tourão, com início marcado para as 15h deste domingo.

Candal recebe Rio Tinto e quer os três pontos


No próximo domingo, o Candal recebe o Rio Tinto, em mais uma jornada da Divisão de Honra da AF Porto. A equipa de Paulo Gentil vem de um resultado moralizador em Canidelo, onde venceu por 3-4, enquanto que o Rio Tinto perdeu em casa com Ac. Felgueiras por duas bolas a zero e continua a lutar pela manutenção neste escalão.
O técnico dos gaienses espera por isso, um jogo complicado: "Será um jogo difícil, mas jogamos em casa e queremos os três pontos. O Rio Tinto é um adversário que joga bem e tem feito alguns bons resultados fora de casa, mas nós estamos a crescer como equipa e queremos a vitória", disse o treinador.
Nos últimos três confrontos entre estes dois emblemas, o Candal tem saído sempre a sorrir, com duas vitórias e apenas um empate, mas com a particularidade de não ter sofrido um único golo e de ter apontado 10, fruto das goleadas em 2006/2007 e 2008/2009, por 6-0 e 4-0 respectivamente.
A partida tem início às 15h do próximo domingo.

Coimbrões somou 11º empate da temporada


Local: Parque Silva Matos
Hora: 15h
Árbitro: Pedro Vilaça (AF Porto)

Coimbrões: Ivo; Nando, Joel (Rui Gomes, Int.), Carlos Santos e Huguinho (Diogo Teixeira, 74'); Paulo Lima (Jorginho, 64'), Carlos Sousa e Luís Paulo; Fábio Martins, Brandão e Nuno Pinto.
Treinador: Sérgio Ribeiro

Amarante: Celso, Carlos Costa, Pedro Carneiro, Marquinhos, André Pires (César, 80'), Diogo Lamelas (Nélson Campos, 64'), Tiago Silva, Bruno Alves, Tiago Martins, Bruno Teixeira (Tiago Rodrigues, Int.) e Bispo.
Treinador: Arlindo Gomes

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-0

O Coimbrões somou o 11º empate da temporada, no passado domingo, frente ao Amarante. A equipa de Sérgio Ribeiro, a jogar em casa, não conseguiu marcar, apesar de ter sido a equipa mais dominadora durante os 90 minutos de jogo, criando várias oportunidades de golo, mas faltando melhor finalização. A equipa gaiense esteve alguns momentos em superioridade numérica, devido à expulsão de Tiago Martins ainda na primeira parte, mas aos 60' Nando viu o segundo cartão amarelo e também recebeu ordem de expulsão. A partir deste momento as coisas não saíram bem aos gaienses, que ainda viram o Amarante criar perigo em duas ocasiões, já perto do final da partida, com Bispo a atirar ao poste e depois Tiago Rodrigues a atirar por cima da baliza de Ivo.
Sérgio Ribeiro, treinador do Coimbrões, destaca a exibição da equipa até ao momento da expulsão de Nando: "Foi um jogo onde fizemos uns bons 60 minutos, mas depois da expulsão ficamos ansiosos e perdemos organização, por isso, o empate ajusta-se", afirmou o técnico.
No próximo domingo a equipa viaja até Cinfães, uma equipa que bem em crescendo de forma: "Vai ser um jogo complicado, porque o Cinfães, assim como nós, também tem vindo a fazer uma boa recuperação. No entanto, vamos jogar para ganhar", garantiu o treinador.
O jogo tem início marcado para as 15h do próximo domingo e apenas Nando, devido à expulsão, se encontra indisponível para este jogo.

Gulpilhares volta a golear, agora em Soares dos Reis e já é o melhor ataque


Depois de golear em casa o Rio Moinhos por 7-1 na semana passada, desta feita a equipa visitou o Soares dos Reis para defrontar o Vila FC e voltou a aplicar o mesmo resultado. Numa partida praticamente de sentido único, o Vila FC viu-se logo em desvantagem aos nove minutos, com um golo de Batata. Ao intervalo, a equipa visitante já vencia por duas bolas a zero, fruto do golo de Soutelo à passagem da meia hora, na transformação de uma grande penalidade. A equipa da casa, sem rumo neste jogo, acabou por entrar pior na segunda parte e viu o marcador aumentar, sem nada poder fazer. Os golos de Batata (57'), que bisou no encontro, assim como Soutelo, que marcou aos (55'), e Pidoa, também autor de dois golos (65' e 73') foram surgindo cada vez que a equipa descia à baliza contrária. Gomes ainda reduziu para o Vila FC a cinco minutos do fim, mas Ludovic ainda teve tempo para marcar o sétimo golo aos 90'.
Gonçalo Silva, treinador do Vila FC, assume a responsabilidade pelo resultado e refere que nada saiu bem à sua equipa: "Foi um jogo sem história, onde tudo nos correu mal e pelo contrário o nosso adversário em oito ou nove remates fez sete golos. Foi sem dúvida o nosso pior jogo, não conseguimos contrariar o nosso adversário em nenhum momento. Apesar de termos cinco baixas na equipa, nada justifica este resultado. Os meus jogadores esforçaram-se mas nada saía bem. Assumo totalmente a responsabilidade deste resultado", disse o técnico.
Já Alexandre Coutinho, técnico do Gulpilhares, destacou precisamente a eficácia da equipa: "A equipa está motivada e vem numa série positiva de jogos. Entramos bem e logo no início marcamos. Na segunda parte matamos o jogo logo no começo e o Vila FC não reagiu, enquanto a minha equipa foi marcando sempre que ia à baliza deles", disse. Com este resultado, o Gulpilhares transformou-se no melhor ataque da 1ª Distrital, somando 43 golos, 14 deles marcados em apenas dois jogos. Alexandre Coutinho destaca a motivação como elemento fundamental: "Precisamente a motivação e o facto de os jogadores entenderem a mensagem que tentamos passar. A união do grupo também é outra, pois quando chegamos não estava muito bem e as coisas assim vão aparecendo", comentou o técnico.

Nogueirense visita o Salgueiros 08

O Nogueirense venceu no passado domingo o Dragões Sandinenses por três bolas a zero. Os golos da equipa de Rui Ferreira apenas surgiram na segunda metade do encontro, já perto dos últimos 20 minutos. Rui Ferreira, treinador da equipa maiata, comentou o jogo para o blog, referindo que "foi uma primeira parte equilibrada, morna. Na segunda parte fomos claramente superiores, mesmo antes de fazer o primeiro golo. Fomos uns justos vencedores, contra uma equipa bem organizada e bem orientada", disse o técnico.
O Nogueirense começou a temporada com ambições de subir de divisão, mas neste momento esse objectivo afigura-se muito complicado, uma vez que a equipa está a 14 pontos do primeiro classificado, o Ac. Felgueiras. Contudo, nos últimos anos, o segundo lugar tem dado direito à subida à 3ª Divisão e esse lugar está bem mais perto, apenas a três pontos de distância. No entanto, o dono dessa posição é o Salgueiros 08, próximo adversário dos maiatos. Rui Ferreira, que representou as cores salgueiristas como jogador, aborda a partida: "É um jogo contra uma equipa que tem ligação ao meu passado e pelo qual tenho um carinho enorme. Queremos ganhar, para dignificar a instituiçãoo que a minha equipa representa. Será um jogo difícil, mas para o qual estaremos preparados. Apos este jogo, desejo ao Salgueiros toda a sorte do mundo", defendeu Rui Ferreira. As duas equipas chegam a esta partida em momentos diferentes: Enquanto o Salgueiros 08 vem de uma série menos boa, onde apenas venceu um dos últimos cinco jogos, o que deixou a equipa praticamente afastada do primeiro lugar, o Nogueirense tem-se apresentado mais consistente e apenas perdeu por uma vez em igual número de jogos. Na última época as duas equipas empataram a zero, na partida entre ambos.
O jogo é no próximo sábado, às 15h, no Estádio do Padroense. 

23 de fevereiro de 2012

Progresso vence Sp. Campo e é cada vez mais segundo


O Progresso venceu o Sp. Campo por 2-1, em partida disputada na passada terça-feira de Carnaval. A formação portuense foi mais forte e mantém assim o segundo lugar, com mais quatro pontos que o terceiro classificado, o Gens, e a cinco pontos do líder, o Valadares.
Milton Ribeiro, técnico dos progressistas, destaca o bom jogo e as dificuldades que o adversário provocou: "O jogo com o Campo foi um bom jogo, bem disputado por ambas as equipas. Voltamos a sentir dificuldades porque voltamos a falhar muito na finalização, mas também porque, mais uma vez sofremos um golo de grande penalidade, coincidência ou não, foi a quinta em quatro jogos", disse o técnico.
O Progresso não joga no próximo domingo, sendo a folga da equipa. Milton Ribeiro sabe que a sua equipa não perderá o segundo lugar, mas está também ciente de que poderá ficar mais pressionada pelos adversários directos, para o que resta de campeonato: "Partimos para a folga tranquilos, tendo a noção que, aconteça o que acontecer, iremos continuar no segundo lugar da tabela, mas com a noção que podemos atrasar-nos para o primeiro classificado e sofrer a aproximação dos adversários directos, contudo isso terá de servir para nos manter alerta e a trabalhar bem para voltarmos em força", concluiu o técnico.

Ataense empata em Avintes e visita Crestuma


Local: Complexo Desportivo de Valbom
Hora: 15h
Árbitro: João Oliveira Martins

Ataense: Rui, André, Dani, Filipe (Gil 82') e Cruz, Brandão, Gui e Fábio, Marco (Márcio 75'), Vitinha e Jardel (Cafú 30').
Treinador: Fernando Mendes

Avintes: Duarte, Telmo, António, Renato e Beto, Hugo, Rafa e Sérgio, Nélson, Daniel (Serginho 60') e Macedo (Luís 60'/Filipe 77').
Treinador: Sebastião Oliveira

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-0

O Ataense e Avintes empataram a zero, em partida disputada no passado domingo, em Valbom, Gondomar. A formação de Fernando Mendes não conseguiu impor o seu futebol em casa, contrastando com o Avintes, que está a passar por uma fase menos boa na prova: Depois de cinco vitórias seguidas, a equipa já não vence há quatro jogos, onde somou três derrotas seguidas e agora este empate.
Fernando Mendes, técnico do Ataense, refere que a sua equipa pecou na finalização: "Quanto ao jogo de domingo passado, talvez tenha sido aquele em que tecnicamente a minha equipa esteve melhor, no entanto não estivemos bem no momento da finalização, capitulo que em casa tem sido nosso apanágio", disse o técnico.
No próximo domingo o Ataense visita o Crestuma, equipa que está na terceira posição, mas também não está num bom momento. Contudo, Fernando Mendes não acredita em facilidades: "No próximo domingo vamos defrontar a equipa sensação deste campeonato, pois não se esperava esta performance classificativa, espero um jogo muito disputado em que o pormenor fará a diferença", revelou Fernando Mendes.
A partida tem início às 15h do próximo domingo e deverá ser disputada no Centro de Estágios de Olival/Crestuma.

Sousense perde em Vila Real


Local: Campo do Monte da Forca
Hora: 15h
Árbitro: Luís Cruz (AF Castelo Branco)

Vila Real: Cabreca, Filipe, Fred, Abreu e Peixoto, Castanha, Meira e Schuster, André Azevedo (Rafael 90'), Ivo (Kobe 75') e Diogo (Dani 68').
Treinador: Abel Ferreira

Sousense: Ricardo, Daniel, Salvador, Bruno Cunha e Hugo, Paulo (Amado 80'), Paulinho e Marcos (Telmo 46'), Zé Augusto, Norinho e Pedro Sá (Filipe 68').
Treinador: Guilherme Baldaia

Resultado ao intervalo: 1-0
Resultado final: 2-0

Marcadores: Schuster (35') e Ivo (73').

O Vila Real, a lutar pela vida, venceu no passado domingo o Sousense, por duas bolas a zero. A equipa de Guilherme Baldaia não conseguiu contrariar a necessidade de pontos dos transmontanos, que com um golo em cada uma das partes do encontro, sentenciou o jogo a seu favor e ganhou três pontos importantíssimos na luta pela permanência. Quanto ao Sousense, está a apenas um ponto de garantir esse objectivo, mas ficou também mais longe do primeiro lugar, agora a sete pontos do Cesarense.
Parco em palavras, Guilherme Baldaia assumiu o mau jogo que a sua equipa fez: "Jogo que fundamentalmente se resume em poucas palavras. A minha equipa fez um mau jogo e o Vila Real foi superior. Quando assim acontece, só temos que dar os parabéns ao adversário e focarmo-nos nos próximos jogos", disse o técnico. A próxima partida é frente ao Rebordosa, mais um adversário desesperado por pontos, para fugir à fase de Manutênção. Guilherme Baldaia refere que "com o Rebordosa, jogo de grande dificuldade, em que temos que ser competentes".
A partida é no próximo domingo, às 15h.

Grijó perdulário empata com Alpendorada e complica as contas


Local: Estádio do Grijó
Hora: 15h
Árbitro: Marco Pereira (AF Aveiro)

Grijó: Hélder, Maté, Ricardo Viana, Bruno Volta (Napoleão 78') e Artur (Dani 46'), Diogo Leite, Bruno Carvalho, João e Pedro Gabriel (Vando 75'), Loureiro e Bruno Faria.
Treinador: Óscar Nogueira

Alpendorada: Muller, Rúben, André, Nuno e João Luís, Tiago, Flávio e Coelho, Rochinha (Luís Carlos 90+2'), Telmo (João Marques 78') e Ricardo (Raul 83')
Treinador: Manuel Neves

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-0

O Grijó empatou na recepção ao Alpendorada e viu a sua situação complicar-se à entrada para os últimos três jogos desta primeira fase, na 3ª Divisão Nacional. Se é certo que a equipa ocupa a quarta posição, é certo também que apenas dispõe de três pontos de vantagem sobre o sétimo classificado, o Serzedelo, e em caso de igualdade pontual perde no confronto directo para os minhotos.
Quanto ao jogo do passado domingo, a equipa não conseguiu encontrar os caminhos que levassem ao golo, perdendo algumas oportunidades flagrantes, nas vezes que conseguiram criar perígo junto da baliza do Alpendorada.
Óscar Nogueira, técnico dos grijoenses, disse que a sua equipa é masoquista: "Parece que somos masoquistas, quando as coisas estavam quase resolvidas quisemos complicar um pouco. Fomos para o jogo com vontade de resolver cedo, entramos bem, fizemos uma primeira parte boa, onde criamos duas ou três situações de golo que desperdiçamos. Na parte complementar ainda perdemos dois golos feitos nos primeiros 20' mas depois, inexplicávelmente, a equipa ficou intranquila e jogou mais com o coração do que com a cabeça, perdendo os seus principios e ideias de jogo", disse o treinador, que não tem dúvidas em apontar um possivel vencedor desta partida: "Mereciamos ganhar mas tenho que reconhecer que não fizemos um bom jogo e que fomos imcompetentes em alguns momentos. Mas o grupo já está empenhado em dar uma resposta mais condizente ao seu valor já no próximo jogo". E esse próximo jogo é em casa do Vila Meã, equipa que ainda acredita poder conseguir um lugar entre os seis primeiros classificados, no próximo domingo às 15h.