31 de março de 2012

Canidelo goleado frente ao Salgueiros 08

O Canidelo acabou goleado pelo Salgueiros 08, em partida disputada no passado domingo, em Padrão da Légua, Matosinhos. A equipa de Carlos Secretário adiantou-se no marcador ainda na primeira parte, aos 32', por intermédio de Fábio. Com o Canidelo a tentar chegar à igualdade, mas sem o conseguir, os últimos dez minutos da partida ficam marcados por mais três golos para o Salgueiros 08, apontados por Zé Augusto (80'), Pinheiro (82') e Fifas (88') na própria baliza, consumando assim a goleada e mantendo a perseguição ao lider, Ac. Felgueiras.
O próximo jogo do Canidelo é em casa, frente ao Pedrouços, equipa que está a lutar pela permanência. Aos gaienses apenas a vitória interessa, uma vez que o Pedrouços apenas tem menos cinco pontos que os homens de António Remelgado e uma derrota complicaria as contas para a fase final do campeonato.
A partida tem início às 16h e será dirigida por Mário Valente.

Oliveira do Douro sofre terceira derrota seguida

O Oliveira do Douro voltou a perder no passado domingo, na visita ao terreno do São Pedro da Cova. A equipa orientada por Mário Heitor voltou assim a entrar numa espiral de resultado negativos e vai já na terceira derrota seguida, depois de vencer o Dragões Sandinenses no dérbi realizado a 4 de Março no Estádio Municipal da Lavandeira. A equipa gaiense respondeu bem ao golo dos mineiros, apontado por Alves aos 20', empatando por intermédio de Rómulo aos 25'. Já no segundo tempo Bertinho deu novamente vantagem à equipa da casa e aos 70', Pedrinho teve a infelicidade de introduzir a bola na própria baliza, acabando aí com o jogo.
A próxima partida é de grau de dificuldade elevado para os oliveirenses, pois o adversário é o Ac. Felgueiras, equipa que lidera a Divisão de Honra com 62 pontos e está muito perto de garantir a subida à 3ª Divisão Nacional. Já o Oliveira do Douro é décimo classificado, com 33 pontos e não pode descuidar-se muito, pois a diferença para o primeiro clube abaixo da linha de água, o Pedrouços, é de apenas seis pontos.
A partida joga-se no Estádio da Lavandeira, com início marcado para as 16h e arbitragem de Nelson Pascoal.

Crestuma goleado no terreno do Cerco do Porto

O Crestuma acabou derrotado no passado domingo em casa do Cerco do Porto, por cinco bolas a duas. A formação gaiense até entrou a vencer com um bis de Nuno em apenas quatro minutos, aos 25' e 29', mas ainda na primeira parte, Serginho reduziu aos 41' e deu o mote para que no segundo tempo o Cerco do Porto protagoniza-se a reviravolta onde Miguel esteve em destaque ao apontar um hattrick aos 55', 60' e 71' minutos. Pelo meio, Fajó apontou o quarto dos portuenses aos 67'.
Com este resultado a equipa de Carlos Rocha pode ter dito adeus à subida de divisão, ainda que matemáticamente esse objectivo seja possivel.
Os gaienses recebem este domingo o Leverense, numa altura em que os dois conjuntos festejam o aniversário. A partida será disputada no Centro de Estágios Olival/Crestuma e terá início às 16h. O árbitro é Fábio Diogo Silva.

Vila soma quarta vitória seguida e já respira melhor

Jorge gomes voltou a
ser decisívo na vitória
do Vila FC
O Vila venceu no passado domingo o Leça do Balio em encontro da 28ª jornada da Série 2 da 1ª Distrital. A equipa gaiense somou assim o quarto triunfo seguido, deixando os lugares de despromoção cada vez mais longe, sem no entanto poder ainda respirar de alívio. A partida fica marcada pelo golo de Jorge Gomes, a um minuto do final do encontro, colocando alguma justiça no marcador, uma vez que os gaienses foram superiores e foram aqueles que mais procuraram o golo.
O próximo jogo do Vila FC é este domingo, com o Marco 09, iniciando aqui uma série de jogos de grau de dificuldade elevado, visto que até ao final do campeonato os adversários serão do topo da tabela. A partida terá início às 16h, será disputada no Estádio Municipal do Marco de Canaveses e terá arbitragem de Filipe Brito. O preço dos bilhetes está fixado nos 4€.

ATENÇÃO - Jogos passam para as 16h


É já na jornada de amanhã dia 1 de Abril que os jogos realizados na tarde de domingo passarão a ser disputados às 16h. Assim, se quiser assistir às emoções dos jogos da sua equipa favorita, não se esqueça que esta terá início já às 16h, em virtude da entrada em vigor do horário de verão verificado na madrugada do passado domingo.

Pedro Dominguez - "Em nossa casa mandamos nós"



O Serzedo recebe o Dragões Sandinenses no próximo domingo, para mais um dérbi gaiense. As duas equipas estão separadas por oito pontos na tabela classificativa, com o Serzedo a ocupar o quinto posto com 46 pontos somados e o Dragões Sandinenses com 38 pontos até ao momento, ocupa o oitavo lugar na classificação geral.
Pedro Dominguez quer fazer valer
factor casa para somar os três pontos
Pedro Domingues, treinador do Serzedo, está confiante num bom resultado: "Será mais um jogo complicado, como o são todos até ao fim. O Dragões Sandinenses vem moralizado, mas em nossa casa mandamos nós", começou por afirmar o técnico. E de facto, em casa manda o Serzedo, pois neste campeonato a equipa apenas perdeu por uma vez no seu reduto, frente ao Nogueirense na terceira jornada. O teinador dos gaiensesrefere que a sua equipa vaientrar para ganhar: "Vamos trabalhar para ganhar o jogo. O adversário já goza de alguma tranquilidade pontual, mas nós queremos os três pontos", concluiu.
Ricardo Jorge quer organização
para poder bater o Serzedo
Já Ricardo Jorge, treinador dos Dragões, apela à organização da sua equipa: "Será um jogo complicado. O Serzedo é uma equipa organizada, mas se nós também formos organizados vamos discutir os três pontos", disse o técnico.
As duas equipas estarão desfalcadas de alguns dos seus principais executantes. Do lado do Serzedo Ricardinho, Vitinha e Hélder estavam em dúvida, enquanto que em Sandim, as baixas já são mais e mais acentuadas: Xavier, Tozé, Miguel, Quinzinho e Kilberg.
A partida terá início às 16h do próximo domingo e será arbitrada por Paulo Neves.

Sousense perde em casa do Infesta


Local: Parque de Jogos Manuel Ramos
Hora: 15h
Árbitro: Joel Sousa (AF Aveiro)

Infesta: Duarte, Carlos, Rui Jorge, Vilas Boas e Pedro Pereira, Rui Franco (Guedes 54'), Vitinha I e Pedro Nuno, Paulinho, Vitinha II (Penantes 75') e Braga (Oliveira 54').
Treinador: José Manuel Ribeiro

Sousense: Ricardo, Daniel, (Filipe 85'), Bruno Cunha (Fernandes 66'), Salvador e Vítor Hugo, Paulo Freixo, Paulinho e Marcos, Bruno Ansiães, Norinho e Pedro Sá (Chico 62').
Treinador: Guilherme Baldaia

Resultado ao intervalo: 1-1
Resultado final: 2-1

Marcadores: Paulinho (7') e Guedes (80') para o Infesta e Marcos (35' de g.p.) para o Sousense

O Sousense entrou a perder na Fase Subida da 3ª Divisão Nacional. a equipa de Guilherme Baldaia jogou com o Infesta, um dos candiatos à subida à 2ª Nacional e apesar de ter discutido taco-a-taco o encontro, os homens da casa acabaram por vencer por 2-1, com golos de Paulinho (7') e Guedes (80'), enquanto que o Sousense empatou aos 35' por intermédio de Marcos, na marcação de uma grande penalidade.
Guilherme Baldaia, treinador dos gondomarenses, não gostou do resultado final e afirma que o árbitro do encontro 'adulterou' o resultado: "Excelente jogo da minha equipa, onde fomos superiores em todos os aspectos. O resultado é inglório, injusto e adulterado pela arbitragem. Na primeira parte, aproveitando metade das oportunidades que dispusemos, seria com toda a certeza o suficiente para somar os três pontos", disse o treinador, que continuou a sua analise: "Na segunda parte existiu mais equilíbrio, mas seria a minha equipa claramente a única com ambição de ganhar o jogo, marcando um excelente golo, anulado incrivelmente pela equipa de arbitragem. Com o nosso adversário satisfeito com o empate, surgiu de bola parada o golo da vitória", atestou Guilherme Baldaia. Apesar do resultado menos positivo, Guilherme Baldaia elogia os seus jogadores: "Parabéns aos meus jogadores pelo nível exibicional atingido e como diz o ditado a luta continua", concluiu.
O Sousense recebe no próximo domingo o Cesarense. líder da classificação, às 16h.

Apito vindo do banco trama Serzedo


Local: Campo do Vilarinho
Hora: 15h
Árbitro: João Guimarães

Vilarinho: David, Fábio, Leal, Chelas e nélson, Luisinho (Rafa 73'), Bruno Torres e Ricardo (Ricardinho 55'), Rui Peto (Luís Carlos 15'), Almeida e Nuno.
Treinador: Pedro Vilaça

Serzedo: César, Pacheco, Cruz, Luís e Joãozinho, Moreira, Óscar (Bruninho 79') e Viana (Dominguez 73'), Fábio (André 73'), Napoleão e Félix.
Treinador: Pedro Dominguez

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-0

O Serzedo empatou na deslocação ao terreno do Vilarinho, no passado domingo. a equipa de Pedro Dominguez perdeu assim uma excelente oportunidade de poder subir à quarta posição na classificação geral, em virtude da derrota do Pedras Rubras em casa do Ac. Felgueiras. No entanto, os gaienses foram alvo de uma situação, no mínimo, estranha. Perto do final do encontro, Cruz, central do Serzedo, depois de se ter isolado e com hipóteses de marcar golo, foi interrompido por um apito que pensou ser do árbitro, mas que afinal veio do banco da equipa da casa: "A faltar sete ou oito minutos para o final do encontro o Cruz isolou-se em direcção à baliza e ouve-se um apito proveniente do banco do Vilarinho. O jogador entrega a bola ao guarda-redes porque pensou que tinha sido o árbitro e depois gerou-se uma confusão, com o juiz a expulsar o delegado ao jogo da equipa da casa, quando tinha sido o adjunto a apitar. É o distrital no seu melhor", referiu ainda incrédulo Pedro Dominguez, treinador do Serzedo. Quanto ao jogo, o técnico refere que a sua equipa foi penalizada em dois pontos: "Acabamos por ser penalizados em dois pontos, pois criamos sete ou oito oportunidades de golo e não conseguimos concretizar nenhuma", concluiu.
O próximo jogo da equipa é em casa, frente ao Dragões Sandinenses.

Dragões Sandinenses vencem Custóias


Local: Estádio do Tourão (Sandim)
Hora: 15h
Árbitro: Luís Machado

Dragões Sandinenses: Paredes, Preto, Wilson, Bruno Gomes e Rui Sousa, Miguel (Jesus 30'), Pedro Abel e Pedrito (Ivo 70'), Bruno Rocha, Nuno Velha e Márcio (Tiago 80').
Treinador: Ricardo Jorge

Custóias: Márcio, Pessoa, Dias, Luisão e Edú, Tiago, Nuno Ribeiro e Renato (Caramalho 65'), Magalhães (Mário Rui 60'), Gandarela e Danny (Nuno Santos 71').
Treinador: Paulo Silva

Resultado ao intervalo: 2-0
Resultado final: 4-2

Marcadores: Nuno Velha (25'), Bruno Rocha (28'), Márcio (77') e Tiago (85') para o Dragões Sandinenses e Edú (71' de g.p.) e Luisão (84') para o Custóias

O Dragões Sandinenses conseguiu uma vitória na recepção ao Custóias, equipa que está neste momento abaixo da linha de água e luta desesperadamente pela manutenção na Divisão de Honra da AF Porto.
Durante a primeira parte a equipa gaiense ganhou uma vantagem confortável, com os golos seguidos de Nuno Velha (25') e de Bruno Rocha (28'), levando uma preciosa vantagem para o intervalo. Já na segunda parte, os matosinhenses foram atrás do prejuízo e ainda reduziram por intermédio de Edú na marcação de uma grande penalidade, mas seis minutos depois os sandinenses responderam por intermédio de Márcio, colocando o resultado em 3-1. O Custóias não baixou os braços e a seis minutos do final, Luisão, voltou a dar esperança à sua equipa reduzindo para 3-2. Mas no minutos seguinte Tiago, que tinha entrado para o lugar de Márcio aos 80 minutos, selou o triunfo para a equipa da casa com o quarto golo.
Ricardo Jorge, treinador dos Dragões Sandinenses, referiu que a sua equipa foi superior, mas esta relaxou antes do tempo e poderia ter custado caro: "Fomos superiores ao Custóias durante todo o jogo. Chegamos ao 2-0 cedo e com facilidade a avisei ao intervalo a minha equipa para termos a mesma atitude. No entanto, entramos adormecidos e o Custóias reduziu e ainda complicou um pouco. Fomos novamente para cima deles e conseguimos voltar a ganhar vantagem, conseguindo uma vitória justa", disse o treinador.
No próximo domingo a equipa desloca-se ao terreno do Serzedo, onde apenas o Nogueirense conseguiu vencer, decorria ainda a terceira jornada do campeonato.

Candal vence Lixa


Local: Estádio Rei Ramiro
Hora: 15h
Árbitro: Fábio Diogo Silva

Candal: João Gomes, Bicho (Fábio Vieira 20'), Nuno Sousa, Ferraz e Bollati, Murdock, Gerson e Johnny, Diga (Rui Miguel 85'), João Amaral (Campota 69') e Gonçalo.
Treinador: Paulo Gentil

Lixa: Vasco Viana, Ricardo Morais, Luciano Gomes (Pedro Sousa80') e Raul Leão, Marco, Hélder Carvalho e Costa Pinto, Diogo, Paulão (Ruben 40') e Gabi (Carvalho 76').
Treinador: Filipe Coimbra

Resultado ao intervalo: 2-1
Resultado final: 2-1

Marcadores: Digas (12') e Ferraz (34') para o Candal e Rúben (43' de g.p.) para o Lixa

O Candal venceu no passado domingo o Lixa por duas bolas a uma. A equipa de Paulo Gentil respondeu assim da melhor forma à derrota na jornada anterior em Serzedo e ainda na primeira parte Digas e Ferraz, fizeram os golos dos gaienses, que viram ainda Rúben reduzir na transformação de uma grande penalidade sem que no entanto conseguissem incomodar a baliza de João Gomes.
Paulo Gentil, treinador dos candalenses, estava contente com a exibição da sua equipa neste jogo: "Acho que o Candal fez um bom jogo, redimindo-se da exibição na partida com o Serzedo. Poderíamos no entanto, ter conseguido uma margem maior de golos. Gerimos a nossa vantagem, mas estivemos perto de outros números", disse o técnico.
Com este resultado o Candal ascendeu ao sexto lugar, com 45 pontos e no próxim domingo a equipa desloca-se ao terreno do Vilarinho, penúltimo classificado. Paulo Gentil não espera facilidades, mas quer trazer a vitória para Gaia: "Será um jogo muito complicado. É um campo difícil, é pelado, mas vamos tentar trazer os três pontos. Técnicamente não será uma partida bem jogada, mas os três pontos são o objectivo para baralharmos ainda mais as contas na frente da classificação", afirmou o treinador.
A partida terá início às 16h e será arbitrado por Cândido Bessa.

30 de março de 2012

Final de loucos em mais um empate do Leverense


Local: Estádio do Leverense
Hora: 15h
Árbitro: Nélson Pascoal

Leverense: Faria, Jorginho, Pinho, Fernando e Ruben, André Nelinho (Luisinho 65') e Agostinho, Adriano, Joel (Escuro 90') e Bruno (Djaló 65').
Treinador: Sérgio Espírito Santo

Avintes: Ricardo (Marcos 46'), Tiago (Avelino 86'), Renato, António e Hedinhas, Nélson (Sérgio 70'), Rafa e Hugo, Luís, Ricardo II e Filipe.
Treinador: Sebastião

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-1

Marcadores: Adriano (85' de g.p.) para o Leverense e Filipe (88' de g.p.) para o Avintes

Disciplina: Cartão vermelho a Hedinhas (85') do Avintes

Foi preciso esperar pelos cinco minutos finais do dérbi entre o Leverense e o Avintes para se poder ver golos e alguma emoção. Nos últimos cinco minutos do encontro, o árbitro Nélson Pascoal apontou uma grande penalidade para cada equipa e expulsou ainda Hedinhas do Avintes. Adriano deu vantagem ao Leverense aos 85' mas essa mesma vantagem voltou a ser anulada três minutos depois, também de grande penalidade, apontada por Filipe. Este foi o 10º empate dos comandados de Sérgio Espírito Santo no campeonato, o terceiro seguido e também o terceiro jogo consecutivo onde a equipa não consegue segurar a vantagem alcançada.
Antes da analise ao jogo entre estas duas equipas, Sérgio Espírito Santo quis deixar algumas palavras sobre as declarações de Fernando Mendes, treinador do Ataense, que no final do jogo entre as duas equipas, no passado dia 11 de Março e que terminou empatado a uma bola, deixou algumas críticas à forma de jogar do Leverense: "Com todas as limitações que vamos tendo diariamente, com ausências de atletas aos treinos e jogos por motivos profissionais, lesões traumáticas de longa recuperação, mesmo assim, vamos continuando a trabalhar o mesmo sistema para todos os jogos e não em função de cada adversário", começou por referir o técnico, explicando de seguida a sua forma de trabalhar: "Quando uma equipa trabalha em organização defensiva atrás da linha da bola, isso não é jogar em sistema super defensivo, mas sim defender bem e isso eu trabalho semanalmente. Quanto ao anti-jogo nem comento, pois não me parece correto esse argumento", afirmou.
Sérgio Espírito Santo refere que a
sua equipa defende bem, refutando a
ideia de praticar anti-jogo
Sérgio Espírito Santo diz ainda que "as pessoas são livres de fazer as análises e comentários aos jogos, conforme o seu ponto de vista. Por isso, o meu comentário só vem no sentido de esclarecer que defendo o meu trabalho, as minhas ideias, a minha equipa, os meus atletas. Procuro sempre treinar a minha equipa de forma a apresentar um bom futebol, o que nem sempre é possível". Sérgio Espírito Santo concluiu este capítulo, afirmando que "nunca critiquei nenhum treinador, nem a forma de jogar de nenhuma equipa até agora. Cada treinador trabalha os seus atletas mediante a sua capacidade e qualidade e não aquilo que os outros defendem".
Referente ao jogo do passado domingo, o técnico em poucas palavras, explicou mais um empate: "Não tenho muito a dizer deste jogo, já que na minha opinião, foi o jogo menos conseguido da minha equipa e que acabamos por ganhar um ponto. Por tudo o que se passou durante os 90 minutos, só nos podemos queixar de nós próprios", disse o treinador.
A equipa desloca-se no próximo domingo ao terreno do Crestuma, equipa que ainda está na luta pela subida de divisão, apesar dos 11 pontos de atraso para o segundo classificado. No entanto, Sérgio Espírito Santo tem uma avaliação curiosa deste encontro entre dois velhos rivais: "Será  mais um jogo para cumprir calendário, dos últimos seis que ainda faltam disputar para o término deste campeonato, já que ambas as equipas tem a manutenção assegurada", disse o técnico.
A partida disputa-se no Centro de Estágios de Olival/Crestuma e está agendada para as 16h do próximo domingo.

Quarta derrota seguida deixa Arcozelo em situação complicada


Local: Complexo Desportivo de Arcozelo
Hora: 15h
Árbitro: Luís Rocha

Arcozelo: Miguel, Pinheiro (Tigana 55'), Tiago Silva (Vinagre 53'), Tiago Santos e Valter, Nélson, João Vaz e João Reis, Elói, Bruno e Castro (Barbosa 73').
Treinador: Alfredo Mendes

Perosinho: Hélder Costa, Marco, Hélder, Marques e Filipe, João Tiago, Mário (Marquinho 46') e Luís, Ivo (Vitó 67'), Pedro (Pedrito 80') e Ricardo.
Treinador: Allen

Resultado ao intervalo: 0-1
Resultado final: 0-2

Marcadores: Pedro (15') e Ivo (50')

O Perosinho regressou às vitórias, depois da derrota caseira da passada semana com o Senhora da Hora, no dérbi frente ao Arcozelo, acabando por vencer a equipa de Alfredo Mendes por duas bolas a zero. O Perosinho mantém assim a perseguição ao Valonguense, que venceu pela mesma margem à entrada para as últimas seis jornadas da prova. Um golo em cada parte bastou para levar de vencida os arcozelenses, que somaram o quarto desaire seguido e estão por isso, numa zona complicada da tabela, podendo cair em zona de despromoção caso o Cerco do Porto vença o São Félix, no jogo em atraso da 26ª jornada.
Alfredo Mendes, treinador do Arcozelo, refere que a vitória do Perosinho é justa, porque a sua equipa não aproveitou as oportunidades de golo que criou, remetendo para a ansiedade da equipa: "O Arcozelo só pode queixar-se da falta de eficácia no ultimo terço ao não finalizar algumas oportunidades de possível golo. Por isso, o Perosinho mereceu a vitória ao conseguir concretizar as poucas oportunidades que criou. O Arcozelo tem qualidade mas a ansiedade não está a ajudar e, para que o possamos demonstrar, teremos que ganhar e nada melhor do que jogar contra o primeiro classificado", disse o técnico, referindo-se ao próximo embate com o Valonguense, no domingo.
Já Allen, treinador do Perosinho, afirma que foi um bom jogo entre as duas formações e que o Perosinho não permitiu veleidades aos donos da casa: "Foi um bom jogo entre duas equipas que gostam de jogar um futebol agradável e bastante ofensivo. Entramos determinados em não dar a menor hipótese ao Arcozelo e foi isso mesmo que aconteceu, pressionamos bastante até conseguir o primeiro golo e depois disso, controlamos a partida sem nunca perder oportunidade de atacar a baliza contrária", disse.
No próximo domingo o Perosinho recebe o Rio Moinhos, numa excelente oportunidade para regressar às vitórias em casa.

Ataense e Gulpilhares empatam a uma bola


Local: Estádio do Gulpilhares
Hora: 15h
Árbitro: João martins

Gulpilhares: Jorge Matos, Pidoa (Serginho 79'), Valente, Pêro e Carlos, Zeca (Paulo Eduardo 70'), Soutelo (Moreira 70') e Fabinho, Diogo, Rooney e Pereira.
Treinador: Alexandre Coutinho

Ataense: Rui, João Ribeiro, Cruz, Filipe e Brandão, Dani, Gui e Marco, Gil (Vitinha 58'), Cafú (Jardel 58') e Fábio (André 77').
Treinador: Fernando Mendes

Resultado ao intervalo: 1-1
Resultado final: 1-1

Marcadores: Rooney (20') para o Gulpilhares e Cafú (43' de g.p.) para o Ataense

Gulpilhares e Ataense empataram a uma bola no passado domingo, em jogo da 28ª jornada do campeonato da 1ª Distrital Série 2. As duas equipas, que lutam pela melhor posição na prova, estavam separadas por apenas três pontos, com vantagem para os gaienses, mantendo-se essa mesma diferença no final dos 90' minutos de jogo. A equipa de Alexandre Coutinho adiantou-se no marcador à passagem do minuto 20 por intermédio de Rooney, mas ainda antes do intervalo, Cafú empatou na marcação de uma grande penalidade.
Fernando Mendes, treinador do Ataense, estava satisfeito com o resultado alcançado e também contente com o facto de, nas oito deslocação que já teve a Gaia, não ter perdido nenhum jogo, vencendo por quatro vezes e empatando outras tantas: "Como esperado, um jogo muito competitivo, cujo resultado se aceita porque os atletas tiveram um comportamento muito digno, apesar do calor que se fez sentir. Quero dar os parabéns aos meus atletas que tudo fizeram para trazer um resultado positivo e porque ao longo desta época, nas oito deslocações ao concelho de Vila Nova de Gaia, não registamos qualquer derrota", disse o técnico.
No próximo domingo o Ataense joga em casa, frente ao Atl. Rio Tinto, numa partida que o técnico afirma que "será mais um jogo e não mais do que isso, onde vamos tudo fazer para ganhar", concluiu.
A partida tem início às 16h.

29 de março de 2012

Progresso goleia Desp. Portugal e mantém o olho no primeiro lugar


Local: Campo do Progresso (Amial, Porto)
Hora: 15h
Árbitro: Ricardo Vigário

Progresso: Moura, Bessa, Oliveira, Morais e Luís, Jorge, Barek (Pinto 35') e Galiza, Fábio (Nunes 70'), Leitão e Cruz (Jeremias 86').
Treinador: Milton Ribeiro

Desp. Portugal: Bruno, Tó, Padeiro (Lindolfo 76'), Banana e Vítor, Jorge, Henrique e Rúben, André (Jaime 76'), Barros e Dimas.
Treinador: Gustavo Braga

Resultado ao intervalo: 3-0
Resultado final: 5-0

Marcadores: Cruz (7' e 15'), Galiza (23' e 49') e Bessa (50')

O Progresso recebeu e venceu o Desp. Portugal por cinco bolas a zero, mantendo assim a ambição de chegar ao primeiro lugar da tabela, ocupado pelo Valadares desde o início do campeonato. A formação portuense conseguiu aproveitar da melhor forma o empate entre os gaienses e o Gens e reduziu para cinco pontos, a diferença que separa as duas equipas. Numa partida onde os progressistas demonstraram toda a sua superioridade, antes da meia hora já o resultado estava fixado no 3-0, com bis de Cruz e um golo de Galiza, que iria bisar também ,já no recomeço do segundo tempo. Bessa fechou a contagem à passagem do minutos 50 e também a história do jogo.
Milton Ribeiro, técnico dos portuenses, estava satisfeito com o resultado alcançado e deixa claro que a sua equipa pretende chegar ao topo da tabela: "Este era um jogo de extrema importância. Vínhamos de um empate que nos tinha atrasado em relação ao primeiro lugar, sabíamos que teríamos de trabalhar muito contra uma equipa que nos roubou ponto na primeira volta. Além disso sabíamos que os nossos adversários mais directos jogavam entre si, por isso não podíamos facilitar", disse o técnico, reconhecendo a superioridade da sua equipa: "Fomos superiores durante todo o jogo, sendo que a acabar a primeira parte o Desportivo até podia ter reduzido enviando uma bola ao poste. Foi um jogo sem problemas, onde as equipas se preocuparam em jogar futebol sem entrar em picardias desnecessárias", adiantou Milton Ribeiro, que deixou elogios ao trabalho do árbitro, Ricardo Vigário: "Tenho de deixar os parabéns à equipa de arbitragem liderada por Ricardo Vigário. Já dei os parabéns noutras alturas e desta vez tenho de fazer o mesmo dizendo que esta equipa de arbitragem esteve bem, fez, única e exclusivamente o seu trabalho, souberam estar, tiveram atitude, conduziram o jogo de tal forma que, se não fosse a estampa física deste trio, não tínhamos dado por eles. Estão, sem duvida alguma, de parabéns pela arbitragem que fizeram", não deixando de agradecer o apoio dos adeptos do clube: "Queria agradecer a todos os nossos adeptos, a todos aqueles que se deslocaram ao nosso campo para assistir a mais um jogo e nos apoiar de forma a que pudéssemos vencer mais uma batalha e subir mais um degrau", agradeceu o treinador.
O Progresso joga no próximo domingo em casa do Paços de Gaiolo e para Milton Ribeiro este é um jogo "contra um adversário que pratica um futebol muito organizado, onde só a vitória nos interessa", concluiu.


Torrão perde dérbi mas deixa críticas ao trabalho do árbitro


Local: Estádio Jorge Sampaio
Hora: 15h
Árbitro: Rui Costa

Pedroso: Emanuel, Pedro Rodrigues (Zé Almeida 70'), Filipe Martins, Ricardo Soares e Ricardo Costa (André 60'), Gonçalves, Pedro Cruz e Rúben Moreira (Reis 60'), Carlos Costa, Fábio Santos e Pedro Ferreira.
Treinador: Seminário

Torrão: Nuno Campos, Artur, Vítor Gomes, Sérgio Silva e Carvalho, Fábio Silva, Rodrigues e Guilherme, Fernandes (Peixoto 55'), Flávio (Nogueira 55') e Cláudio.
Treinador: Renato Castelo.

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 2-1

Marcadores: Peixoto (63') para o Torrão e André (79 de g.p.) e Zé Almeida (90+4') para o Pedroso

O Torrão perdeu no passado domingo por 2-1 o dérbi com o Pedroso. A formação de Renato Castelo até se adiantou no marcador, aos 60', por intermédio de Peixoto, jogador que tinha entrado minutos antes para o lugar de Fernandes, desfazendo a igualdade. Em desespero, a formação de Seminário correu atrás do prejuízo e chegou à igualdade aos 79', na marcação de uma grande penalidade muito contestada pelos visitantes, depois da bola ter batido no braço do defesa do Torrão. Já no período de compensação o Pedroso vai chegar ao golo da vitória, apontado por Zé Almeida, mas também muito contestado pelo Torrão, pois os atletas queixam-se de uma falta sobre o guardião Nuno Campos.
Seminário, treinador do Pedroso, destaca a justiça da vitória: "Foi uma vitória justa, de uma equipa que sempre quis ganhar o jogo. Foi pela margem mínima, mas até poderia ter sido mais, pois criamos situações de golo suficientes para um resultado mais avultado", referiu o treinador.
Já do lado do Torrão, Renato Castelo expressa toda a sua indignação para com o trabalho do árbitro, Rui Costa: "Foi um jogo estranho, onde sentimos desde o principio que não poderíamos fazer uma gracinha. Nós não poderíamos ir a Pedroso e jogar olhos nos olhos", começou por analisar o técnico, explicando depois os motivos da sua indignação: "Jogamos concentrados e depois de chegarmos empatados ao intervalo marcamos aos 60’ por Peixoto na sequência de um canto. Se o campo já estava descaído a partir daqui ficou completamente inclinado. O golo de empate surge de penalti onde a bola bate na mão do nosso defesa central e ele tem a mão encostada ao corpo. O golo da reviravolta nasce na sequência de um canto aos 97’, quando o árbitro só tinham indicado cinco minutos de compensação. Nesse lance o nosso guarda-redes sofre carga dentro da pequena área e a bola vai ao poste, um jogador do Pedroso domina a bola num lance exactamente igual ao do penalti e o árbitro não marca a falta acabando por marcar o golo. Estava resolvido, já podia acabar o jogo", desabafou o técnico.
Com este resultado, o Pedroso manteve o sexto lugar, agora com 47 pontos, enquanto que o Torrão caiu para o 11º posto, com 29 pontos somados até ao momento.

27 de março de 2012

Valadares empata em casa do Gens


Local: Parque Desportivo de Gens (Gondomar)
Hora: 15h
Árbitro: Joaquim Pinto

Gens: Leandro, Amilcar, Miguel, Toninho e Pedro Lopes, Vítor Hugo, Paulinho (Romano 60') e Luís Filipe, Rui Sousa, Santos (Igor 74') e Daniel (Tata 80').
Treinador: Paulo Silva

Valadares: Clemente, Carvalho, Alex, Silva e Duarte, Gasosa (Raposo 67'), Camarinha (Miguel 80') e Juliano, Osmar (Leandro 63'), Sérgio e Luciano.
Treinador: Paulo Alexandre

Resultado ao intervalo: 1-0
Resultado final: 1-1

Marcadores: Luís Filipe (40') para o Gens e Carvalho (83') para o Valadares

O Valadares conseguiu somar um ponto na difícil deslocação ao terreno do Gens, no passado domingo. A equipa gaiense ainda começou a perder, com um golo de Luís Filipe já perto do intervalo, mas a sete minutos do final, Carvalho, atleta que lidera as votações para o 'Melhor Jogador da 2ª Distrital' a decorrer no blog, marcou o tento do empate e que permitiu ao Valadares manter os 12 pontos de vantagem sobre o Gens, estando assim muito perto de garantir a subida de divisão.
Paulo Alexandre, treinador dos gaienses, destaca a forma pouco ofensiva com que o Gens abordou o encontro, privilegiando o contacto físico: "Entramos bem em jogo e tivemos sempre o controlo do mesmo. O nosso adversário, apesar de ter que ganhar para não deixar fugir o segundo lugar, entrou em campo com a estratégia de jogar sempre mais no contacto físico do que técnico ou táctico e acabou por chegar ao golo num canto", analisou o técnico, que afirmando que o Valadares deveria ter saído com os três pontos: "Pelo que se passou, a haver um vencedor seriamos nós, já que fomos a única equipa que fez tudo para ganhar. Não me lembro de qualquer defesa do Clemente", concluiu o técnico.
O Valadares joga no próximo domingo com o Abragonense, numa jornada que antecede a paragem do campeonato para a celebração da Pascoa.

Melres vence Sobreirense e volta ao oitavo lugar


Local: Estádio da Gaivota (Melres)
Hora: 15h
Árbitro: José Dias

Melres: Mário, Pedro (Rui Tavares 52'), Márcio, Bruno e Paulo, Rui Fernandes (Belez 78'), Daniel e Nuno, Nelson, Pessegueiros e Sandro (Marco 58').
Treinador: Paulo Pêgas

Sobreirense: Fabianski, Poças (Magalhães 72'), Óscar, Tiago Pereira e Lobo (Ricardo 32') Tiago Sousa, Domingos Santos e André Silva, Joãozinho, Otero e Miguel (Rui Miguel 65').
Treinador: Tiago Pinto

Resultado ao intervalo: 2-1
Resultado final: 3-1

Marcadores: Otero (17') para o Sobreirense e Paulo (24'), Bruno (45+1') e Pessegueiro (73') para o Melres

O Melres venceu o Sobreirense por três bolas a uma em partida disputada no passado domingo. A equipa da casa até começou a perder, com um golo de Otero aos 17', mas ainda antes do intervalo Paulo (24') e Bruno (45+1') deram a volta ao marcador, colocando o Melres na frente. Já no decorrer do segundo tempo, Pessegueiro fechou as contas, com o Melres a somar três importantes pontos que voltam a colocar a equipa na oitava posição.
Paulo Pêgas, técnico dos gondomarenses, elogiou o desempenho da sua equipa, mas também do adversário: "Só um Melres muito organizado, com muita atitude e humildade conseguiu ultrapassar o Sobreirense que demonstrou que têm alguns jogadores com alguma qualidade, muita atitude e com organização, o que dificultou ao máximo o nosso trabalho vendendo ,cara a derrota. Uma equipa que na minha opinião, não demonstra o lugar que ocupa", referiu o técnico.
A equipa só volta a jogar agora em meados de Abril, tudo por causa da folga na próxima jornada e também pelo fim-de-semana da Páscoa, que se verifica no dia 7 de Abril, na visita ao terreno do Gens.

26 de março de 2012

Classificações - 2ª Nacional Zona Centro


O Coimbrões empatou com o São João de Ver a duas bolas mas a equipa de Sérgio Ribeiro teve que andar sempre atrás do prejuízo, conseguindo empatar a quinze minutos do fim, na marcação de uma grande penalidade. Este resultado permite desde logo aos gaienses festejar a manutenção na 2ª divisão na próxima temporada.
O Boavista pode ter dito adeus ao sonho da subida, com mais uma derrota, desta feita na deslocação ao terreno do Cinfães, perdendo por duas bolas a zero. O Gondomar 'empatou' o Tondela e como consequência imediata, a equipa de Vítor Paneira viu-se ultrapassada pelo Sp. Espinho que agora lidera com mais dois pontos.


Classificações - 3ª Nacional Fase Subida


Tanto o Grijó como o Sousense começaram mal a Fase Subida da 3ª Nacional, ao perderem os seus jogos, curiosamente com os dois primeiros classificados. O Grijó visitou o terreno do Cesarense e perdeu por uma bola a zero e o Sousense visitou o Infesta e acabou derrotado por 2-1. O Grijó é quinto classificado com 17 pontos, enquanto que o Sousense é quarto com 19.


Classificações - Divisão de Honra


O Ac. Felgueiras regressou às vitórias, ao derrotar o Pedras Rubras por uma bola a zero, mantendo assim o Salgueiros 08, que goleou em casa o Canidelo, a oito pontos de distância, estando cada vez mais perto de garantir a subida de divisão. O Candal recebeu e venceu o Lixa por 2-1, resultado obtido ainda na primeira parte e o Dragões Sandinenses praticamente garantiu a manutenção com a vitória sobre o Custóias por 4-2. O Oliveira do Douro continua sem acertar e voltou a sofrer nova derrota, em casa do São Pedro da Cova, por três bolas a uma. Já o Serzedo não conseguiu melhor que uma igualdade a zero em casa do Vilarinho e assim desperdiçou a oportunidade de subir ao quarto lugar da classificação.


Classificações - 1ª Distrital Série 2


Na Série 2 da 1ª Distrital o destaque vai para o resultado que se verificou na partida entre o Atl. Rio Tinto e o Sobrado, com os visitantes a vencerem por 5-6, numa partida que teve de tudo e onde os locais se queixaram do trabalho da equipa de arbitragem. Na frente da tabela tudo na mesma, com o Valonguense a vencer em casa do Senhora da Hora por duas bolas a zero e o Perosinho a responder em casa do Arcozelo com o mesmo resultado. Na parte de baixo da tabela, destaque para a quarta vitória seguida do Vila FC, desta feita sobre o Leça do Balio, o que deixa a equipa a respirar um pouco melhor, mas sem se poder descuidar. Outro dos destaques da jornada, é a vitória gorda do Cerco do Porto sobre o Crestuma por 5-2. Os minutos finais em Lever foram impróprios para cardíacos, com o Leverense a abrir o marcador, de grande penalidade, a cinco minutos do fim, mas, como tem sido apanágio da equipa nas últimas partidas, sofreu o empate também de grande penalidade, poucos minutos depois, cedendo pontos mais uma vez.


Classificações - 2ª Distrital Série 2


Jornada com muitos golos na Série 2 da 2ª Distrital. O Progresso venceu o Desp. Portugal por cinco bolas sem resposta enquanto que o Sp. Campo não deu hipoteses ao Paços de Gaiolo e goleou os marcoenses por sete bolas a zero. O jogo entre o Gens e o Valadares terminou empatado a uma bola e o dérbi gaiense entre o Pedroso e o Torrão sorriu aos comandados de Seminário, que acabaram por vencer a partida por 2-1. O Melres venceu o Sobreirense por 3-1 e voltou ao oitavo lugar. 


24 de março de 2012

Tarde de 'chapéus' redundou em vitória sandinense


Local: Estádio do Canidelo
Hora: 15h
Árbitro: André Neto

Canidelo: Dani, Fifas, Coutinho, Sérgio e André (Alex 63'), Ricardo Melo, Lourenço (Rúben 83') e Andrade (Rui Pedro 63'), Rabaça, Tonel e Oliveira.
Treinador: António Remelgado

Dragões Sandinenses: Rui Peredes, Preto, Bruno Gomes, Rui Sousa e Wilson, Miguel, Pedro Abel e Nuno Velha, Quinzinho (Ivo 55'), Pedrito (Jesus 90') e Bruno Rocha (Márcio 75').
Treinador: Ricardo Jorge

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-2

Marcadores: Andrade (50') para o Canidelo e Márcio (75') e Nuno Velha (90+4') para o Dragões Sandinenses

Espectáculo para consumir até ao final, o que decorreu na tarde do passado domingo em casa do Canidelo, com o Dragões Sandinenses a garantirem a vitória já nos últimos suspiros do encontro e com um grande golo de Nuno Velha a coroar uma boa exibição. Ainda assim, coube ao Canidelo abrir o marcador, por intermédio de Andrade, aos 50' de jogo, depois de uma primeira parte sem golos, contudo, Ricardo jorge não poderia ter escolhido melhor altura para lançar Márcio em jogo, pois assim que o atleta entrou, reestabeleceu logo o empate, fazendo um chapéu a Dani. Já no período de compensação, Nuno Velha arrancou um remate imparável da esquerda do ataque sandinense, com a bola a passar novamente por cima de Dani, que sem hipótese de defesa, viu a bola entrar na baliza e consumar a reviravolta no marcador.
Nuno Velha, experiente médio dos sandinenses, abordou o momento do golo que valeu três pontos, para o blog: "O golo da vitoria apareceu nos descontos, quando se esperava o empate. Num lançamento de linha lateral recebi a bola, tabelei, e quando recebi a bola novamente deparei-me com algum espaço e rematei, o que acabou por dar num grande golo", conta o jogador. Sobre o jogo, a jogador refere que a sua equipa esteve bem, mas num momento de desconcentração, acabou por sofrer o golo: "O Dragões Sandinenses entrou bem no jogo e já na primeira parte criou oportunidades para golo. O Canidelo também as teve, por isso, foi uma primeira parte equilibrada. Na segunda metade entramos logo a perder, numa descontracção nossa, num lance de bola parada. E a partir dai fomos atrás doutro resultado e com o jogo mais aberto criamos novamente oportunidades para golo, que apareceu logo na primeira vez que o Márcio tocou na bola, fazendo um belo chapéu", revelou, não deixando de enaltecer o espírito de equipa: "Quero realçar a entrega do grupo todo. Porque estávamos a passar uma fase menos boa de resultados, e no domingo, demonstramos o que queremos e o excelente grupo que somos", concluiu.
O Dragões Sandinenses recebe o Custóias no próximo domingo, às 15h.

Ivo - "Resultado não abala o nosso objectivo final"


Golo de Ivo desta vez não foi suficiente para o Perosinho somar três pontos

Ivo, avançado do Perosinho e autor do terceiro golo dos gaienses na partida frente ao Senhora da Hora, não encontrou explicação para o sucedido, a não ser alguma desorientação da equipa depois de ter sofrido o 3-2 quando faltavam pouco mais de dez minutos para o final do encontro. O jogador analisou a partida para o blog, referindo que "entramos bem no jogo fazendo 1-0 com naturalidade. Abrandamos um pouco e o Senhora da Hora fez o empate contra a corrente do jogo. Elevamos novamente e conseguimos o 2-1. Na segunda parte entramos praticamente a marcar, fazendo o 3-1 e depois desperdiçamos algumas situações de golo iminente", adiantou o avançado, que depois aborda os minutos finais do encontro, no entanto, mostrando confiança no futuro: "Contra a corrente o jogo o Senhora da Hora fez o 3-2 de bola parada e a partir daí a equipa nunca mais se encontrou e, sem explicação, passou de 3-2 para 3-4. Penso que foi uma segunda parte anormal da nossa parte, mas que em nada abala o nosso objectivo final", revelou com confiança.

Perosinho permite reviravolta do Senhora da Hora


Local: Estádio do Perosinho
Hora: 15h
Árbitro: Bruo Chasqueira

Perosinho: Hélder Costa, Marquinhos, Hélder, Barbosa (Vitó 87') e Filipe, João Tiago, Pedrito (Ricardo 56') e Luis (Zé Miguel 65'), Ivo, Pedro e Mário.
Treinador: Allen

Senhora da Hora: Gamito, Serrão, Ramalho, Leandro e Diogo, Dani (Ricardo 51'), Ferrer (Bruninho 88') e Moreira, Fábio, Luís (Jordan 51') e João Luís.
Treinador: Joca

Resultado ao intervalo: 2-1
Resultado final: 3-4

Marcadores: Marquinhos (10'), Pedrito (40') e Ivo (46') para o Perosinho e João Luís (30'), Ramalho (76') e Serrão (80' e 84') para o Senhora da Hora.

Resultado de todo inesperado aquele que o Perosinho somou no passado domingo, em casa, perante o Senhora da Hora. A formação gaiense regressou aos jogos em casa depois da derrota com o Gulpilhares e esperava somar mais três pontos, até porque o Valonguense também acabou por perder, contudo, o Senhora da Hora surpreendeu os gaienses e mesmo depois de estar a perder por 3-1 desde o início da segunda parte, já dentro do último quarto de hora de jogo, imprimiu uma reviravolta que terminou com a vitória para os matosinhenses.
Allen, treinador do Perosinho, refere que não estava à espera deste resultado: "Fizemos uma primeira parte razoável chegando ao intervalo a vencer por 2-1. No segundo tempo, entramos com outra determinação e marcamos logo nos minutos iniciais indicando que iríamos partir para uma goleada, apenas pecamos na finalização. De um momento para outro, após eu ter efectuado duas alterações, uma delas forçada, sofremos um golo contra a corrente do jogo e a partir daí a equipa abanou por completo, ficando totalmente desorientada e acabamos por sofrer ainda mais dois golos", analisou o técnico, que assume as responsabilidades do resultado final: "No futebol quando um treinador mexe na equipa e as coisas não correm bem naturalmente a responsabilidade é dele e assumo-a porque nunca deveríamos ter deixado fugir estes três pontos, porventura iludi-me um pouco com a boa exibição da equipa e tudo saiu ao contrário. O futebol é bonito e apaixonante por isto mesmo, por ser imprevisível", concluiu o treinador.
O Perosinho visita no próximo domingo o Arcozelo, em mais um dérbi gaiense.

Ataense empata com o Foz


Local: Complexo Desportivo de Valbom (Gondomar)
Hora: 15h
Árbitro: Hélder Casanova

Ataense: Rui, Ribeiro, Dani, Filipe e Cruz, Brandão, Gui e Cafú (Fábio 67'), Marco, Vitinha e Jardel (André 67').
Treinador: Fernando Mendes

Foz: Toni, João Pereira, João Almeida, Nuno e Rodrigo, Chaves, Vanzeller e Jorginho (Pipoca 59'), Filipe (Serra 82'), Bessa e Braga.
Treinador: Claudemiro Martins

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-0

Ataense e Foz empataram a zero, em partida disputada no passado domingo. A formação gondomarense conseguiu manter assim a invencibilidade que dura já há seis jornadas e continua na sétima posição, agora com 41 pontos. Já o Foz está na parte de baixo da classificação, mas os 31 pontos deixam antever alguma confiança na manutenção.
Fernando Mendes, treinador do Ataense, referiu que a sua equipa perdeu dois pontos, devido às falhas na finalização: "A minha equipa pecou na finalização, tendo como resultante a perda de dois pontos, no entanto, o nosso opositor revelou-se apresentando uma boa dinâmica, que nos dificultou muito a acção durante os primeiros 45 minutos", disse.
O próximo jogo é já este domingo, com a equipa a visitar o Gulpilhares. Fernando Mendes não espera facilidades: "Na próxima jornada vamos encontrar um adversário que tem muito valor, mas tudo iremos fazer para manter o registo, pois não perdemos há seis jornadas", concluiu o técnico.

23 de março de 2012

Leverense volta a escorregar nos instantes finais


Local: Estádio do São Félix
Hora: 15h
Árbitro: Pedro Lopes

São Félix: Faria, André (João 82'), Júlio, Leal e Leandro, Luís Almeida, Tiago Gomes e Didi, Tiago Costa (Nelsinho 67'), Nélson Oliveira e Vítor Hugo (Alvarenga 23').
Treinador: Manuel António

Leverense: Faria, Jorginho, Sandro (Pinho 50'), Fernando e Rúben, André, Bruninho e Agostinho, Vidal (Djaló 65'), Adriano e Bruninho (Luís 46').
Treinador: Sérgio Espírito Santo

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 1-1

Marcadores: Adriano (78') para o Leverense e Luís Almeida (90+2') para o São Félix

Disciplina: Cartão vermelho a Didi (88') do São Félix

São Félix e Leverense empataram a uma bola, em partida disputada no passado domingo, em São Félix da Marinha. A formação de Sérgio Espírito Santo voltou a ceder pontos nos instantes finais da partida, depois de ter ganho vantagem com o golo de Adriano, aos 78 de jogo. No entanto, Luís Almeida ainda teve tempo para reestabelecer o empate, quando passavam já dois minutos depois dos 90 regulamentares. Foi a terceira vez nos últimos jogos que o Leverense cede pontos nos instantes finais dos jogos, tendo-se verificado esta situação nos jogos com o Valonguense (24ª) onde a equipa acabou por perder o encontro e depois na jornada anterior, com o Ataense, onde sofreu o empate quatro minutos depois da hora.
Sérgio Espírito Santo refere que não existe nenhum antídoto para evitar estas situações: "Não existe nenhum antídoto na farmácia para a falta de concentração da minha equipa, para evitar este tipo de situações, mas sim, treina-se para melhorar os níveis de concentração,experiência e maturidade. Quando não se treina ou não se treina bem, não se está concentrado no que se faz, não se quer aprender ou melhorar, podem surgir com frequência este tipo de situações de intranquilidade, que levam a falhas comprometedoras nos jogos. Deveríamos estar disponíveis quer física, quer psicologicamente, para sermos mais eficientes, o que nem sempre tem acontecido", afirma o técnico.
Já sobre a partida em si, Sérgio Espírito Santo afirma que a equipa esteve bem, apesar das várias ausências registadas: "Apesar de várias ausências na equipa, penso que entramos bem no jogo, bem organizados, com boa circulação de bola, onde pecamos um pouco na melhor leitura dos lances e no ultimo passe para golo. Se na primeira parte, o jogo foi equilibrado e mesmo sem oportunidades flagrantes de golo, penso que estivemos mais perto de o obter. Na segunda parte e após algumas alterações na equipa, conseguimos chegar ainda com mais perigo à baliza do São Félix e numa dessas oportunidades conseguimos chegar ao golo" adiantou o técnico.
O Leverense joga no próximo em casa com o Avintes, mais um dérbi gaiense, ás 15h.

Terceira vitória seguida tira Vila FC da zona de despromoção


O Vila FC somou a terceira vitória consecutiva, melhor série de vitórias até ao momento na prova, e aproveitou da melhor forma os embates com os adversários mais directos na luta pela permanência na 1ª Distrital. Com estas três vitórias a equipa de Gonçalo Silva deixou já a zona de descida, contudo, ainda não pode respirar de alívio, uma vez que a diferença que separa as equipas envolvidas neste objectivo estão muito próximas. No jogo do passado domingo frente ao Rio Moinhos, a equipa de Soares dos Reis foi superior ao adversário e conseguiu ganhar uma vantagem de dois golos já no decorrer do segundo tempo, com os tentos de Jorge Gomes (50') e Joel Sousa (62') a colocarem justiça no marcador. Contudo, o Rio Moinhos ainda reduziu por intermédio de Machado (66') e ainda chegou a importunar a defensiva gaienses, que no entanto, conseguiu segurar a preciosa vantagem.

A Bola é Redonda
Gonçalo Silva acredita
na manutênção da equipa

No final, Gonçalo Silva, técnico dos gaienses, estava contente com o resultado alcançado: "Conseguimos uma vitória muito importante contra o Rio Moinhos, saindo dessa forma dos lugares de despromoção. Foi um jogo que fomos os justos vencedores, onde criámos diversas oportunidades para marcar na primeira parte, mas não conseguimos o golo. Na segunda metade entrámos muito fortes e fizemos dois golos nos primeiros 20 minutos. Com o golo do Rio Moinhos acabámos por sofrer sem necessidade, já que tínhamos tido muitas oportunidades para matar o jogo", analisou o técnico, que também deixou os parabéns à sua equipa: "Tenho que dar os parabéns aos meus jogadores, pela entrega que têm tido nos treinos e jogos, temos passado por muitas dificuldades mas unidos como estamos temos conseguido ultrapassar os obstáculos", disse.
O próximo jogo do Vila FC é com o Leça do Balio, novamente em casa e antecipa uma série de jogos muito complicados com as equipas da frente da tabela. Gonçalo Silva espera conseguir mais três pontos: "Este domingo teremos mais uma final contra o Leça do Balio, será um jogo difícil, mas pelo desempenho que os meus jogadores têm tido nos últimos jogos espero um bom jogo da minha equipa", concluiu o técnico.
O jogo tem início às 15h de domingo e será jogado no Parque Soares dos Reis.

Arcozelo perde em Marco de Canavezes e complica a sua situação


Local: Estádio Municipal do Marco de Canavezes
Hora: 15h
Árbitro: João Guimarães

Marco 09: Sérgio, Tozé, Bruno Matos, Humberto e Marcelo, Saraiva (Mateus 35'), Tiago e Brito, Vasco (Pinto 81'), Filipe Sousa (Maki 72') e Diogo Luis.
Treinador: João Paulo

Arcozelo: Miguel, Pinheiro (Tigana 56'), Fábio, Barbosa (Vinagre 70') e Bruno, Santos, Valter (Silva 66') e André, João Reis, Elói e Castro.
Treinador: Alfredo Mendes

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 3-0

Marcadores: Brito (54' de g.p. e 56') e Tiago (79')

Disciplina: Cartão vermelho a Humberto (35') do Marco 09 e Fábio (53') e André (78') do Arcozelo

O Arcozelo somou a terceira derrota consecutiva, na visita ao terreno do Marco 09 no passado domingo. A equipa de Alfredo Mendes não conseguiu contrariar a equipa da casa e acabou por sucumbir por três bolas a zero, depois de uma primeira razoável dos gaienses. No entanto, os golos de Brito aos 54' e 56' deitaram por terra as aspirações arcozelenses, que não souberam aproveitar o facto de estarem a jogar com mais um atleta desde os 35' do primeiro tempo, por expulsão de Humberto. Ainda assim, os gaienses acabaram o jogo com nove jogadores, depois das expulsões de Fábio aos 53' e de André aos 78'.
Alfredo Mendes, técnico da equipa, refere que houve duas partes distintas nesta partida: "O jogo do Marco teve duas partes distintas. Na primeira fomos a equipa que tivemos mais perto do golo, onde criámos várias ocasiões para marcar, inclusive uma bola á barra. Foi o melhor Arcozelo desde que eu tomei conta da equipa. Na segunda parte, nada fazia prever o fraco desempenho da equipa, que nos levou a uma derrota merecida", adiantou o técnico, que apontou a ansiedade da equipa como principal factor de bloqueio: "A ansiedade e a imaturidade da equipa está a bloquear a excelente qualidade dos jogadores do Arcozelo", afirmou Alfredo Mendes.
A equipa gaiense vai entrar num ciclo terrível de jogos. Até ao final da prova, a equipa vai jogar com os conjuntos de topo da classificação, numa fase decisiva da prova também para os arcozelenses. O primeiro desses embates é já no domingo, frente ao Perosinho, em casa, e Alfredo Mendes espera um bom resultado: "Esperamos uma resposta positiva já na próxima jornada contra o Perosinho", concluiu o técnico.
A partida será disputada no Complexo Desportivo de Arcozelo, com início marcado para as 15h.

22 de março de 2012

Modicus vai jogar a final da Taça de Portugal pela primeira vez

Modicus irá jogar pela primeira vez a final da Taça de Portugal

O Modicus está na final da Taça de Portugal de futsal, pela primeira vez na sua história. A equipa de Sandim, visitou o venceu o SL Olivais por 2-5, em partida disputada no passado dia 14 de Março. Os golos foram apontados por Gabriel Pereira (2), Emerson, Ricardo Ferreira e Fernando Leal, enquanto que pelo Olivais, Nuno Vicente e Vasco Pinto foram os autores dos golos.
Gabriel Pereira, autor de um bis no jogo da meia final, comentou esta passagem à final da formação gaiense: "E um prémio merecido para este grupo de jogadores e para o clube, pelo esforço feito por todos esta época! Depois do sorteio, a final era um objectivo a alcançar e consegui-mo-lo com muito esforço, querer, raça e humildade. Estamos muito felizes por estarmos na final, para a maior parte e a primeira vez na carreira, e sem duvida que nós todos merecemos, pela época que estamos a realizar em todas as frentes", referiu o jogador, que é o segundo melhor marcador da equipa no campeonato, com 18 golos, atrás de Fernando Leal que lidera a lista com 30 tentos apontados, mais cinco que Joel Queirós do Benfica. Gabriel Pereira agradece o apoio dos adeptos, que segundo o próprio, têm sido fantásticos: "O nosso muito obrigado também aos adeptos e simpatizantes pelo imenso apoio que nos tem dado esta época, são também essenciais para o nosso sucesso e do clube", disse.
Gabriel acredita que a equipa
tem tudo para vencer o Benfica
A final será disputada em Oliveira de Azemeis, no Pavilhão Dtr. Salvador Machado, e está agendada para o dia 6 de Maio às 17h15, sendo que terá transmissão em directo por parte da RTP2. Gabriel Pereira afirma que agora que a equipa chegou aqui, a final é para vencer: "É uma final, tudo pode acontecer. Como se costuma dizer, as finais são para ganhar e vamos para o jogo com esse único pensamento, vencer. Vamos defrontar uma das equipas mais fortes do nosso campeonato, mas vamos preparar-nos a altura, para ver a melhor estratégia a ter nesse jogo, para poder sair com a vitória no fim", afirmou, referindo também que o Modicus tem valor para vencer o Benfica: "Temos valor para ganhar ao Benfica. Temos que cometer menos erros possíveis no jogo, para podermos festejar no fim e dar uma alegria a este grupo, clube e massa associativa que bem merecem", concluiu o jogador.
De referir que o Modicus já esteve perto de chegar à decisão final da Taça de Portugal em futsal, decorria a época 2007/2008, com o acesso à decisão final a ser disputado através da final four e na altura, o Modicus sucumbiu aos pés da Fundação Jorge Antunes por quatro bolas a zero. Nessa temporada, a equipa acabou por se sagrar campeã da 2ª divisão Nacional, ao derrotar o Odivelas por 9-3 no conjunto das duas mãos, ascendendo à 1ª Divisão.