31 de janeiro de 2011

Classificações - 2ª Divisão Nacional Zona Centro


O Coimbrões continua a realizar um campeonato excepcional. Na jornada do passado domingo, a equipa recebeu e venceu o Esmoriz por quatro bolas a zero, com golos de Pedro Tavares, Nuno Pinto (2) e Lourenço, vingando assim a derrota da primeira volta e somando a terceira vitória seguida no campeonato.. A equipa ascendeu à terceira posição da classificação geral, estando apenas a oito pontos do líder, o Tondela. Na próxima jornada a equipa desloca-se ao terreno do Pampilhos.


Classificações - 3ª Nacional Série B


O Candal venceu o líder até esta jornada, o Famalicão, por 2-1 e conseguiu reduzir para um ponto a diferença que separa os gaienses da liderança, agora ocupada pelo Famalicão e Sousense, ambos com 28 pontos.
No polo oposto, continua o Oliveira do Douro, que segue somando derrotas, perdendo desta feita na deslocação ao terreno do Vila Meã, por 2-1, apesar de ainda ter conseguido chegar ao empate, depois do primeiro golo da equipa da casa, já no decorrer do segundo tempo.


Classificações - Divisão de Honra


Na Divisão de Honra, o Grijó perdeu uma boa oportunidade para pressionar o Pedras Rubras, na segunda posição, pois a equipa maiata empatou a duas bolas com o Lixa. Já os gaienses não foram além de uma igualdade a zero, na deslocação ao terreno do Vilarinho.
O Arcozelo e o Avintes têm a vida complicada. A equipa de Miguel Moreira perdeu na recepção ao Valonguense por uma bola a zero, permitindo assim ao adversário directo na luta pela permanencia subir para o 16º lugar, por troca com os gaienses. Já o Avintes foi a casa do Ataense, último classificado, e permitiu à equipa de Gondomar somar os três pontos, algo que já não acontecia desde a nona jornada, altura em que derrotou o Valonguense por uma bola a zero, somando assim a quinta derrota seguida.


Classificações - 1ª Distrital Série 1


O Valadares é cada vez mais último na classificação, depois da derrota de ontem, em casa emprestada, com o São Félix, por duas bolas a zero. A equipa de Vítor Sousa não ganha há sete jornadas, somando derrotas todas as partidas efectuadas. com 12 pontos conquistados até ao momento, o Valadares vê já o Foz com 17 pontos, acima da linha de água.
No polo inverso, o Canidelo somou o nona vitória seguida e ainda conseguiu alargar a vantagem para o segundo e terceiro classificado. A equipa de Lé Santos recebeu e venceu o Perafita, por 2-1, tendo agora 14 pontos de vantagem sobre os matosinhenses. Já o Serzedo, perdeu por 2-1 na deslocação ao terreno do Bougadense e não aproveitou a derrota do Perafita para ganhar alguma vantagem pontual. Além disso, o Desp. Portugal venceu e está agora a apenas um ponto dos gaienses.
O Gulpilhares derrotou o S. P. Rates por 3-1 ocupando o 10º lugar, enquanto que o Perosinho também venceu o Castêlo da Maia pelo mesmo resultado e está um lugar abaixo na classificação.


Classificações - 1ª Distrital Série 2


Com a vitória de ontem sobre o Folgosa, o Dragões Sandinenses cimentou o primeiro lugar da classificação geral, beneficiando para isso do empate do Baião em Lever, frente ao Leverense, a zero. Tozé foi autor do tento sandinense, ainda na primeira parte, deixando assim a equipa com mais quatro pontos que o agora segundo classificado, o Marco 09, que venceu em Crestuma por 1-2 e mais cinco que o Baião, que caiu para o terceiro posto.


Classificações - 2ª Distrital Série 1


O Pedroso voltou a entrar nos eixos e somou no jogo do passado domingo, a terceira vitória seguida, conseguindo reduzir a diferença pontual para o líder, Cerco do Porto, paraseis pontos, embora os portuenses tenham menos um jogo, em virtude da folga desta jornada. Ainda assim é uma boa injecção de moral para uma equipa que, após nove vitórias seguidas, apenas venceu um jogo nas dez jornadas seguintes.
O Vila continua na mó de cima. Ontem somou o 16º jogo sem qualquer derrota, ao vencer o Torrão por 4-1. A equipa de Renato Castelo ainda conseguiu chegar à igualdade antes do intervalo, mas uma segunda parte de grande nível, deu a vitória aos comandados de Edmundo Duarte.
Já a AD Vitrine, recebeu e empatou a zero com o Boavista, mantendo por isso o 17º, agora com 15 pontos conquistados.


30 de janeiro de 2011

Valadares recebe São Félix no pelado de Pedroso


O Valadares recebe o São Félix no pelado de Pedroso, hoje às 15h, com arbitragem de António Amorim. A equipa de Vítor Sousa joga uma cartada importante na luta pela manutenção, pois a equipa ocupa o último lugar da classificação, com apenas 12 pontos somados, fruto de três vitórias e três empates. Já o São Félix chega a este jogo na nona posição, com 30 pontos e vem de uma vitória sobre o Bougadense por 3-1.
O Valadares tem tido alguma falta de sorte desde que começou a segunda volta: Com excepção dos jogos frente ao Castêlo da Maia e Perosinho, esteve sempre em vantagem, permitindo depois a reviravolta aos adversário. Foi assim com o Perafita e também com o Canidelo.
Já o São Félix tem tido uma trajectória mais regular, sendo que já não perde há três jornadas. No entanto, os números do dérbi são mais favoráveis ao Valadares, que como anfitrião não perdeu nenhum dos três jogos realizados nas últimas três temporadas frente ao São Félix.

Entrega da Taça de Campeão ao Coimbrões novamente adiada

A Taça de Campeão Nacional da 3ª Divisão, Série C, que deveria ser entregue ao Coimbrões antes do jogo com o Esmoriz, foi novamente adiada. É a segunda vez que a enttrega não pode ser efectuada na data acordada. Já tinha acontecido aquando da recepção ao Gondomar e voltou a acontecer agora.
O site do Coimbrões refere que "a Associação de Futebol do Porto informou o SC Coimbrões que a entrega do Troféu de Campeão da III Divisão - Série C, marcada para o jogo frente ao Esmoriz, foi adiada". Contudo, existe já uma nova data agendada, sendo que à partida, será no próximo dia 13 de Fevereiro, aquando da visita do Cesarense ao Silva Matos.
Resta referir que os motivos dos sucessivos adiamentos da entrega do trofeu, são alheios ao Coimbrões.  

29 de janeiro de 2011

Serzedo joga amanhã com o Bougadense e só a vitória interessa

O Serzedo desloca-se ao terreno do Bougadense, em jogo da 22ª jornada do Campeonato Distrital da 1ª Divisão, Série 1, da AF Porto. A equipa de Pedro Dominguez ocupa um confortável segundo lugar com 45 pontos, enquanto que o Bougadense chega a este jogo na oitava posição, com apenas 32 pontos conquistados.
Este jogo é de capital importância para os gaienses, até porque na mesma ronda joga-se um Canidelo-Perafita, sendo que os matosinhenses estão a três pontos do Serzedo.
Tiago Mendes, jogador do Serzedo, referiu ao 'A Bola é Redonda' que espera um jogo difícil, mas só a vitória interessa: "Amanha vai ser um jogo difícil, dado a equipa do Bougadense, ser uma boa equipa, como demonstrou aqui no nosso terreno. Contudo, acho que amanha o jogo vai ser muito diferente do que aconteceu na primeira volta, dado á nossa continuidade de bons resultados e as nossas pretenções aos lugares cimeiros do campeonato". Na primeira volta, em Serzedo, o Bougadense venceu por três bolas a zero, inflingindo aí a primeira derrota ao conjunto de Pedro Dominguez. No entanto, o Serzedo goza de algum favoritismo, até porque já não perde desde a oitava jornada, precisamente há 13 jogos, conquistando oito vitórias e cinco empates. Já o Bougadense tem mostrado alguma intermitência de resultados. Nas últimas dez jornadas, a equipa venceu apenas por quatro vezes, perdeu cinco e empatou uma, apesar de ser em casa o seu ponto mais forte, onde só perdeu por uma vez e empatou duas, em 10 jogos realizados.
Tiago Mendes aborda ainda o Canidelo-Perafita, que pode favorecer o Serzedo. Para o jogador o resultado ideal era uma derrota... para as duas equipas: "No jogo entre o Canidelo e o Perafita, se fosse possível, queria uma derrota para os dois, mas se houver lógica,  o Canidelo ganhará, dado ao facto de jogar em casa e pela motivação do lugar que ocupa, mas não há vencedores antecipados", concluiu o atleta.
O jogo tem início marcado para as 15h, no Estádio da Ribeira e o árbitro será Luís Machado.

Tiago Silva quer os três pontos para o Pedroso.

O Pedroso joga amanhã frente ao Inter de Milheirós, em jogo referente à 22ª jornada do Campeonato distrital da 2ª Divisão. Neste jogo só a vitória interessa aos comandados de Manuel Rocha, uma vez que o Cerco do Porto folga, podendo reduzir a diferenças pontual para seis pontos e há um Sp. Cruz-Atl. Rio Tinto, que poderá dar a oportunidade aos gaienses de se aproximarem de qualquer um destes adversários ou mesmo dos dois.
Tiago Silva, jogador do Pedroso, disse ao blog que espera um jogo difícil, mas também pretende a conquista dos três pontos: "Só esperamos uma vitória. É isso que temos procurado sempre e neste jogo não será diferente. Sabemos que vai ser um jogo complicado, mas jogamos em casa e temos a obrigação perante os nossos sócios de lhes dar uma alegria e mais três pontos, para nos colar-mos ainda mais lá em cima, depois daqueles dois meses negros. Esta semana temos essa  possibilidade, visto o Cerco folgar e jogar-se o Sp. Cruz-Atl. Rio Tinto, por isso só a vitoria nos interessa".
O Pedroso é claramente favorito para esta partida, não só por ocupar o quarto lugar na tabela e vir de duas vitórias seguidas, mas sobretudo por que o Inter de Milheirós nunca venceu o Pedroso em casa, sendo mesmo copiosamente derrotado em 2008/2009, quando perdeu por 6-1. De resto, na última temporada o Pedroso venceu por 2-1, assim como em 2007/2008, pelo mesmo resultado. O jogo é no Estádio Jorge Sampaio, às 15h e será apitado por Roberto Moura.

Fábio Martins - "Jogo frente ao Esmoriz, é um jogo claramente para ganhar"


Fábio Martins confinate para o jogo com Esmoriz.     Foto de Sónia Cardoso          
 O Coimbrões recebe amanhã o Esmoriz, em jogo a contar para a 17ª jornada do Campeonato Nacional da 2ª Divisão, Zona Centro. Antes da partida, a equipa do Coimbrões irá receber a Taça de Campeão Nacional da 3ª Divisão, referente à época anterior.
Fábio Martins, jogador do Coimbrões, abordou com orgulho, esta situação, referindo que "é obviamente um motivo de orgulho para todos nós. É o último reconhecimento oficial da excelente época passada, e ficamos sempre satisfeitos por relembrar esses momentos. Jogamos todos os domingos com o símbolo de campeão estampado na camisola, e o orgulho que temos em vestir aquela camisola não podia ser maior". O jogador, que também já representou o Vilanovense, afirma que neste momento, o Coimbrões é o maior clube de Gaia: "O Coimbrões é, neste momento, o maior clube de Gaia. Cada domingo que passa a mística deste clube está mais patente, e este grupo é responsável por grande parte disso. No fundo, esta Taça é a última peça de um puzzle perfeito e quero desde já dedica-la à nossa massa associativa, que foram e são fantásticos. Acompanha-nos para todo lado, nunca sentimos que estamos a jogar fora e sabemos bem o quão felizes ficarão, quando virem aquela Taça na nossa montra", afirmou o jogador.
                    Foto de Sónia Cardoso
O Esmoriz é então o adversário que se segue. A equipa está na quinta posição, à condição porque o Boavista venceu já hoje o Sp. Espinho por uma bola a zero, mas a confiança para esta partida não podia ser maior, motivada também pela vontade de 'vingar' o resultado da primeira volta, quando o Coimbrões perdeu por uma bola a zero, na deslocação a Esmoriz: "é um jogo claramente para ganhar. É um jogo com contornos de vingança, pois foi no campo deste adversário que tivemos a derrota mais injusta da época, num jogo em que fomos claramente superiores. A nossa equipa é fortíssima em casa, conhecemos bem o campo onde jogamos, e detestamos desiludir a nossa massa associativa, que tem sido fantástica. Para além disso, vimos de uma série de jogos muito boa, e temos a perfeita noção que se ganharmos este domingo colamos ao grupo da frente, que na minha opinião, é onde pertencemos". No entanto, o jogador tem consciência das dificuldades que o Esmoriz irá com certeza impor, até porque é uma equipa que milita neste escalão há muitos anos e isso também conta: "O Esmoriz é uma equipa bastante sólida e organizada, notando-se isso no campeonato regular que têm vindo a fazer, por isso não vai ser nada fácil. É uma das características desta divisão, não existem jogos fáceis, é sempre muito equilibrado como ficou provado no domingo anterior".
O Coimbrões vem de uma série de resultados que deixa antever alguma confiança: Nas últimas seis partidas, venceu quatro, perdeu uma e empatou outra, o que deixa a equipa numa posição confortável para este jogo, ao qual pode somar o facto de ainda não ter perdido qualquer jogo em casa esta temporada, onde soma quatro vitórias e três empates, com 11 golos marcados e seis sofridos. Contudo, o Esmoriz não perde desde a quarta jornada, somando quatro vitórias e oito empates, chegando a esta partida, assim como o Coimbrões, depois de duas vitórias consecutivas. Estão assim reunidos os ingredientes para uma boa tarde de futebol, com um grande jogo em perspectiva, com início marcado para as 15h, no Parque Silva Matos. A arbitragem está a cargo de Fábio Veríssimo, da AF Leiria.

Miguel Moreira - "Nós somos melhores"


Miguel Moreira, técnico do Arcozelo, lançou o jogo de amanhã contra o Valonguense, referindo que a sua equipa está melhor que o adversário: "Nós somos melhores, estamos mais bem preparados e temos vontade de "vingar" a injustiça que foi o resultado da primeira volta e mostrar que não merecemos estar no lugar que ocupamos actualmente. Para isso, temos de nos empenhar desde o primeiro minuto e mostrarmos que somos melhores, mas sempre respeitando o adversário, que tal como nós, vai procurar ganhar o jogo para também tentar sair da posição em que se encontra". Relembre-se que a equipa gaiense perdeu na primeira volta por uma bola a zero, já na altura considerado um resultado injusto pelo seu treinador.
O Valonguense é um adversário directo do Arcozelo na luta pela manutenção, por isso é imperativo para a formação arcozelense vencer esta partida, até porque estas duas jornadas são ambas disputadas em casa e contra adversários directos: Amanhã o Valonguense, no próximo domingo o Vilarinho. No entanto, Miguel Moreira sabe das dificuldades que a conjunto de Valongo irá impor à sua equipa: "Vai ser um jogo em que obrigatoriamente temos de ganhar, uma vez que é contra um adversário directo. Se jogarmos da forma como jogamos na segunda parte com o Nogueirense, tenho a certeza que vamos conseguir a vitória. Se não o fizermos, vamos passar por bastantes dificuldades, uma vez que apesar da classificação actual, o Valonguense tem um plantel com vários jogadores experientes e de qualidade, principalmente no meio campo e ataque, onde são muito rápidos".
Ás estatísticas favorecem o Arcozelo neste particular, pois das últimas quatro vezes que estas duas equipas se encontraram, o Arcozelo venceu por três ocasiões, sendo que se regista apenas um empate, na temporada 2008/2009, numa igualdade a zero. De resto, o Arcozelo tem saído vitorioso e com números bem marcantes: duas vezes por 3-1 em 2006/2007 e na última temporada e por 4-1 na época de 2007/2008.

Grijó procura os três pontos na deslocação ao terreno do Vilarinho


O Grijó desloca-se ao terreno do Vilarinho, amanhã, para disputar a 19ª jornada do campeonato da Divisão de Honra da AF Porto. A equipa de Óscar Nogueira continua no encalço da subida de divisão, apesar de a desvantagem pontual para o líder, Infesta, ser de 11 pontos. Ainda assim, o técnico dos gaienses não deita a toalha ao chão e quer continuar a lutar pelos três pontos em cada partida, até porque ainda falta muito para jogar. Quanto ao jogo de amanhã, Óscar Nogueira está ciente das dificuldades que o Vilarinho poderá apresentar, até porque é uma equipa que está neste momento numa situação incómoda na tabela: "Vai ser um jogo difícil, o Vilarinho é uma boa equipa e dentro de portas galvaniza-se. Temos de ser humildes, muito concentrados e com uma grande atitude para podermos pensar em ganhar o encontro. É neste tipo de desafios que se ganha e perde campeonatos, portanto, temos de dar uma boa resposta", disse o treinador.
De facto, o Vilarinho é uma equipa complicada para os grijoenses e os números confirmam isso mesmo: Estas duas equipas defrontaram-se nas últimas cinco temporadas e o Grijó apenas venceu uma vez, na temporada 2007/2008, por 1-3, quando as equipas disputavam a 1ª Distrital. De resto, o Vilarinho também venceu por uma vez apenas, sendo o empate o resultado mais comum entre ambas as equipas, sendo que foi o resultado que se verificou mais vezes. Na última temporada, o resultado final foi de 2-2. O jogo tem início marcado para as 15h e será dirigido por Luís Moreira.

28 de janeiro de 2011

Alex - "Sinto-me bem para jogar mais três ou quatro épocas"

Alex, defesa central que representou o Oliveira do Douro e o Candal, onde deu por terminada a carreira de jogador no final da época passada, acabou por regressar ao activo, ingressando em Dezembro no São Pedro da Cova, equipa que disputa a Divisão de Honra da AF Porto. O 'A Bola é Redonda' falou com o jogador, que entre outras coisas, referiu sentir-se bem para jogar mais três ou quatro épocas, apesar dos 34 anos. O jogador esteve em foco na última jornada, passando por momentos completamente antagónicos: Marcou o golo da vitória da sua equipa sobre o Pedras Rubras, mas acabou por ser expulso no tempo de compensação da partida. Veja de seguida as declarações do jogador:


Alex, aqui ao serviço do Candal

A Bola é Redonda - Alex porque decidiste voltar ao futebol?

Alex - Pela vontade de voltar a jogar e pela vontade que os dirigentes do São Pedro da Cova tiveram em me contratar, mais especificamente o Presidente.


ABR - Estas satisfeito com o desempenho até ao momento do São Pedro da Cova no campeonato?

Alex - Sim, desde que entrei na equipa com mais quatro ou cinco reforços, temos feito bons jogos. Em seis partidas jogadas, temos apenas uma derrota, em Barrosas, mas que não merecíamos perder. É o futebol.


ABR - Quais são os objectivos para esta época?

Alex - Os objectivos são, jogar jogo a jogo e lutar pelos três pontos em cada partida. Esse é o nosso objectivo.


ABR - Este regresso prolongar-se-á para a próxima época?

Alex - Ainda não pensei nisso. Mas sinto me bem para jogar mais três ou quatro épocas.

 
ABR - Queria que me falasses do último jogo da tua equipa, que venceram por uma bola a zero, com um golo teu, o Pedras Rubras onde acabaste também por ser expulso..

Alex - Foi um bom jogo, em que controlamos de principio ao fim, contra uma equipa muito experiente mas onde o São Pedro da Cova esteve muito bem em todos os capítulos, merecendo assim a vitória sem contestação. Em relação á arbitragem e á minha expulsão acho que tiveram um dia mau dando 15 minutos de descontos e um golo mal anulado a nosso favor, mas como na vida toda a gente erra, eu acho que foi apenas um dia mau da arbitragem.

Dragões Sandinenses pretendem "ajuste de contas" com o Folgosa

O Dragões Sandinenses vai receber o Folgosa no próximo domingo, sendo o segundo jogo consecutivo em casa, depois da recepção no passado sábado ao Leões Citânia, que terminou com vitória dos gaienses por 2-1. É precisamente o mesmo final que Pedro Abel, jogador da equipa sandinense, espera que aconteça, até porque a equipa quer 'vingar', no bom sentido, o empate da primeira volta: "Como motivação extra para este jogo, temos a recordação do jogo da primeira volta que a ganhar 2-0 estranhamente, empatamos 2-2. Queremos ajustar contas desse jogo", disse o jogador, que também está ciente das dificuldades que o conjunto maiato irá apresentar: "Vamos ter mais um jogo complicadíssimo, o Folgosa é uma equipa muito complicada embora, pelos resultados, sejam capaz do melhor e do pior. Sentimos que as equipas contra nós empenham-se ao máximo, neste momento e por sermos líderes somos um alvo abater. Contudo, vamos para este jogo com um só objectivo, ganhar", pois o jogador sabe da valia do plantel às ordens de Ricardo Jorge: "Sabemos a qualidade do nosso plantel, a competência de quem nos lidera, a paixão de quem nos segue, e aliando isso à vontade, humildade e concentração temos tudo para ultrapassar mais um obstáculo", concluiu.
O jogo será disputado no Estádio do Tourão, em Sandim, às 15h e será arbitrado por Mário Valente.

Allen - "este pode ser o jogo que nos pode começar a aproximar da zona da tabela que queremos"

O Perosinho joga no próximo domingo com o Castêlo da Maia um jogo que o seu treinador, Allen, afirma ser "um jogo difícil contra uma equipa boa e que procura jogar bom futebol. Veremos quais as condições climatéricas, porque este também pode ser um factor determinante nesta partida". Para o técnico, este jogo tem bastante importância no que se poderá passar no resto da época da sua equipa, pois "vamos com a perfeita noção que este pode ser o jogo que nos pode começar a aproximar da zona da tabela que queremos e começar da mesma forma a ganhar vantagem em relação aos que estão para trás", deixando para trás também, um início de época que deitou por terra um dos principais objectivos do clube para esta temporada, que era a subida de divisão. É com esse pensamento que, segundo o treinador, os seus jogadores irão entrar em campo no próximo domingo: "Esta é a mensagem que irei transmitir aos meus jogadores, é o jogo mais importante porque é o próximo, tem também a condicionante da classificação e poderá ter a da chuva e do terreno difícil caso isto aconteça ao longo da semana e no próprio dia do jogo".
Apesar da enorme vontade de vencer, o Perosinho tem os números contra si, no que diz respeito ao confronto entre as duas equipas. Das duas últimas vezes que se defrontaram, na já longínqua época de 2005/2006 e na última temporada, o Castêlo da Maia venceu sempre. Esta época, as coisas são ligeiramente diferentes, até porque o Perosinho esta mais acima na classificação que o seu adversário, apesar da diferença ser de apenas um ponto, e estão em momentos de forma opostos: Enquanto os maiatos apenas venceram um e empataram outro jogo nas últimas cinco jornadas, o Perosinho soma no mesmo período quatro vitórias e apenas uma derrota.
O jogo será disputado no Complexo Desportivo do Castêlo da Maia e a arbitragem está a cargo de Abel Silva.

Torrão perdeu na recepção ao Vilar Pinheiro e defronta o Vila FC

O Torrão foi derrotado pelo Vilar Pinheiro, em jogo da 22ª jornada do campeonato distrital da 2ª Divisão. A equipa gaiense somou o segundo desaire consecutivo, depois de já ter sido derrotado pelo Sp. Cruz na jornada anterior, após conseguir duas vitórias seguidas. A equipa agora orientada por Renato Castelo não esteve no seu melhor e permitiu dois golos à equipa forasteira, conseguindo ainda amenizar o resultado e fixá-lo no 1-2 final.
Renato Castelo, técnico do Torrão, abordou o jogo para o 'A Bola é Redonda', referindo que "entramos muito apáticos no jogo e logo aos 7' já perdíamos por 1-0. Jogando contra o vento ainda na primeira parte sofremos o segundo golo, num erro enorme do nosso defesa, que ao não aliviar a bola, permitiu a intervenção do avançado do Vilar Pinheiro. Depois do intervalo rectificamos posicionamentos e mudamos a nossa atitude em campo e a partir dos 25' da segunda metade, pressionamos o nosso adversário. Dispusemos de duas oportunidades antes de chegarmos ao golo por intermédio do Artur. Mesmo em cima do apito final, poderíamos ter empatado o jogo mas atiramos por cima da baliza".
A equipa desloca-se este domingo ao Parque Soares dos Reis, para defrontar o Vila FC, equipa que venceu na primeira volta o Torrão, por 0-3. Renato Castelo espera "que seja um dérbi gaiense à moda antiga, onde todos os intervenientes tenham um prestação positiva". Sobre o jogo, o técnico refere que "vamos defrontar uma, senão a maior equipa de Gaia, em termos de história, e um dos candidatos a subida de divisão, apesar de neste momento não estar nos lugares de subida. Vamos entrar em campo com o mesmo objectivo com que entramos para todos os jogos, ganhar", mas sempre ciente das dificuldades que a sua equipa irá encontrar pela frente, perante um Vila FC motivado e que não perde há 15 jornadas: "Se o vamos conseguir? A ver vamos. Também estávamos destinados a perder com o Atlético de Rio Tinto e ganhamos. Vamos a jogo sabendo que existem três resultados possíveis. Pessoalmente gosto muito de um deles. Mas se não for possível trazer um resultado positivo para a beira-rio, vamos dificultar ao máximo a tarefa do Vila e sair do Parque de Soares dos Reis de cabeça bem levantada, com o sentido de dever cumprido", concluiu o treinador.
O jogo é no Parque Soares dos Reis e será arbitrado por Pedro Varanda Ribeiro e tem início marcado para as 15h.

Entrevista com: Joaquim Pinto (Treinador dos Infantis do Coimbrões)

Na sequência do trabalho realizado pelo blog na divulgação daquilo que se faz a nível de camadas jovens no nosso Concelho, esta semana, o entrevistado do 'A Bola é Redonda' é Joaquim Pinto, técnico dos infantis do Coimbrões, que estão a realizar uma excelente temporada. Esta época, a equipa sagrou-se bi-campeã do Torneio Miranda de Carvalho, torneio realizado anualmente para esta categoria, mas na variante de futebol de sete. Para além do Coimbrões, Joaquim Pinto faz ainda trabalho de prospector no SL Benfica. O contacto com o mundo do futebol jovem começou nos infantis do Vilanovense, passando depois para a Escola 1º Contacto, mas no escalão de Escolas. Chegou ao Coimbrões há duas temporadas, para orientar os Infantis sub-12 e este ano acompanha a mesma equipa mas no escalão de Infantis sub-13.
A nível de títulos, de entre outros, salientam-se a Danone Nations Cup, em 2009/2010 e o Torneio Miranda de Carvalho, já esta época, tudo ao serviço do Coimbrões. Mais uma excelente entrevista a não perder.

Infantis Sub-13 do Coimbrões que ocupam a quarta posição na 1ª Distrital

A Bola é Redonda (ABR) - Joaquim, há quanto tempo treinas esta equipa de Infantis do Coimbrões?

Joaquim Pinto (JP) - É a segunda época que treino esta equipa.


ABR - Estão a fazer um excelente campeonato, ocupando a quarta posição na classificação. Quais são os objectivos para esta época?

JP - Os objectivos para esta temporada são para além de renovar o estatuto de melhor equipa de V. N. Gaia, ser uma das melhores equipas do Distrito do Porto. Para já estamos a conseguir, espero que seja para continuar.


ABR - A primeira volta já acabou, já levam três jogos da segunda, por isso gostava que me fizesses um resumo daquilo que já se jogou e se achas que poderiam estar ainda melhor classificados do que o que estão.

JP - Começamos muito bem o campeonato, onde somamos inúmeras vitórias o que nos fez estar sempre nos lugares cimeiros. Mas quando nos encostamos ao 2º lugar tivemos uma série de jogos onde as arbitragens não foram felizes, quero acreditar que foi pura coincidência. A equipa rapidamente ultrapassou essa situação e voltou aos bons resultados. Na segunda volta estamos novamente a entrar bem, quer a nível de resultados quer a nível exibicional. Tão importante como os resultados tem sido a evolução notória da equipa quer enquanto conjunto, quer a nível individual. Creio que poderíamos estar ainda melhor classificados, perdemos alguns pontos em que fomos bem melhores que o adversário, mas sabemos que no Futebol nem sempre ganha quem joga melhor.


ABR - A equipa venceu pela segunda vez consecutiva, o Torneio Miranda de Carvalho em futebol de 7. Era objectivo inicial revalidar o título?

JP - Foi um dos objectivos bem definidos no inicio da época, a revalidação desse titulo. Sabemos da importância que este torneio tem no concelho e queríamos vincar uma vez mais a posição do SC Coimbrões, como melhor equipa de V. N. Gaia no escalão de Infantis.


ABR - Entrando um pouco na metodologia de treino. Que especificidades acarreta treinar o escalão de Infantis?

JP - Nos Infantis Sub-13 dá-se a transição da fase de Iniciação para Pré-especialização, ou seja, entre muitas especificidades é uma excelente fase para desenvolver as capacidades coordenativas, em que se deve trabalhar bastante a vertente técnica, mas por já haver uma maior compreensão do jogo, é possível desenvolver consideravelmente o universo táctico dos atletas. Por essa e outras razões, a meu ver é na subida da categoria de Sub-12 para Sub-13 que se dá o período ideal para a transição do Futebol de 7 para Futebol de 11.


ABR - Sabendo que são ainda muito jovens, que lhes dizes para os moralizar após uma derrota?

JP - Depende do contexto. Primeiro é preciso perceber se a equipa fez ou não o que lhe foi pedido e saber distinguir isso mesmo junto dos atletas. Mais tarde quer a equipa tenha cometido muitos ou poucos erros, tenha saído vencedora ou derrotada, há sempre situações a corrigir. É aqui que entra o aspecto moral e se percebe quem vai ou não evoluir. O treinador deve identificar e solucionar essas situações e os atletas assimilarem isso mesmo. É por isso que sempre que possível mostro o vídeo do jogo aos atletas.


Joaquim Pinto está no Coimbrões
 há duas temporadas


ABR - Sendo tu treinador de formação, como vês a formação nos outros clubes gaienses?

JP - Creio que podia e devia estar bem melhor. Ainda se vê muitas equipas a praticar um futebol "à antiga" com treinadores sedentos de vitórias, mas em que a produtividade dos jovens atletas é muito diminuta. Revejo-me no ideal "Formar a ganhar", mas a forma como se ganha e o Futebol que se pratica é tão ou mais importante do que as vitórias. Individualmente aprecio a forma de trabalhar do Arcozelo que criou uma identidade própria, um Futebol bastante atractivo em que apenas peca na objectividade. Identifico-me também com o meu colega dos Infantis A do Candal, Marco Vieira, pela forma como trabalha e se relaciona com os atletas, algo que acho fundamental para o bem estar do grupo.


ABR - Sendo a Formação o suporte dos clubes, principalmente cujas camadas seniores jogam maioritariamente nos distritais, achas que os clubes de Gaia deveriam fazer um melhor aproveitamento das suas camadas jovens?

JP - Temos um Presidente da Câmara bastante inteligente e que tomou medidas nesse sentido. Os clubes estão sem dinheiro e vão obrigatoriamente ter de aproveitar melhor as suas camadas jovens. Desejo é que haja uma preocupação maior dos clubes, nas pessoas que formam as camadas jovens.


ABR - Actualmente o Candal é a única equipa de Gaia que tem equipas a disputar as provas nacionais nos escalões de Formação, nas categorias de juniores e iniciados. Na tua opinião, o que falta aos restantes clubes gaienses para conseguirem ter equipas nas provas nacionais e o que diferencia o Candal dos outros clubes, em termos de formação?

JP - Falta exactamente o que referi na resposta anterior. Pessoas credíveis e com uma boa base de conhecimento para formar os atletas. Não significa que todos têm de ter o curso universitário, mas que se preocupem constantemente em avolumar e evoluir o seu conhecimento. Em relação à segunda parte da questão, o Candal conseguiu o estatuto de clube gaiense referência nas camadas jovens, devido a uma série de circunstâncias. Primeiro soube aproveitar bem o quase desaparecimento do Vilanovense, que até então era que detinha esse rótulo. Depois soube estabelecer parcerias com clubes de renome, que lhes foram muito proveitosas e apelativas para os jovens. E finalmente porque teve e ainda tem nos seus quadros algumas pessoas competentes. Nesta temática creio que o Coimbrões está no bom caminho, pois nos últimos anos o trabalho nos escalões de iniciação tem sido fantástico e que creio que a curto-médio prazo será alastrado aos escalões de especialização.

ABR - Qual é o teu maior desejo neste momento, como treinador dos infantis do Coimbrões?

JP - Que todos os meus atletas concluam o ano lectivo com um aproveitamento escolar positivo e que possamos dar continuidade à época muito boa que estamos a fazer.


ABR - Para terminar, gostava que deixasses uma mensagem aos adeptos do Coimbrões e aos leitores do blog.

JP - Primeiro parabenizar os adeptos do Coimbrões pelo calor humano que se faz sentir, sejam os jogos em casa ou fora e agradecer a boa moldura humana que esteve patente em inúmeros jogos dos Infantis. Dar também os parabéns ao blog "A Bola é Redonda" pelo excelente trabalho feito em prol das equipas de V. N. Gaia. A maior recompensa que o blog pode ter é o número de visitas que tem e a popularidade que atingiu. E por último agradecer a todos os atletas, à maioria dos seus pais, directores, treinadores, ex-treinadores, do Coimbrões pelo tempo partilhado e em especial ao João Pereira e ao Augusto Roxo pelo valor humano que têm.

27 de janeiro de 2011

Gulpilhares perde com Desp. Portugal

O Gulpilhares deslocou-se ao terreno do Desp. Portugal, desta feita ao pelado do Parque Desportivo Fernando Pedrosa e acabou por perder o jogo por duas bolas a uma, depois de estar a vencer por uma bola a zero. A equipa de Alfredo Mendes marcou primeiro, mas depois a expulsão de Lobo, deixou a equipa gulpilharense desguarnecida e acabou por sofrer dois golos que ditaram o resultado final.
Nuno Varandas, jogador do Gulpilhares, referiu isso mesmo ao blog: "Foi um jogo complicado devido ao facto de ter sido num pelado em más condições o que tornou ainda mais difícil o nosso jogo. Na primeira parte entramos bem, fazendo um futebol mais directo. Chegamos ao golo logo na primeira oportunidade que tivemos, e dai para a frente penso que o jogo foi de muita luta e intensidade, mas sempre controlado por nós. Tivemos ainda mais três ocasiões de golo mas não aproveitamos. Entramos na segunda parte com a mesma vontade e atitude, de forma a continuar a controlar o jogo, mas a expulsão do Lobo veio desequilibrar um pouco a equipa e o adversário soube aproveitar, depois já nos descontos com um pouco de sorte marcou o golo da vitoria, num jogo em que pelo que lutamos e jogamos penso que não devíamos ter perdido", disse o atleta.
No próximo domingo o Gulpilhares volta a jogar, ao receber o São Pedro de Rates. Nuno Varandas está confiante na vitória da sua equipa: "Será mais um jogo em que só temos um pensamento, que é ganhar. É contra um adversário que que esta abaixo de nos na classificação, em 13º lugar, e vem certamente complicar a nossa tarefa, mas estamos empenhados, com grande sentido de responsabilidade e vamos lutar ate o ultimo minutos para alcançar os três pontos, de forma a aumentar a diferença para os últimos classificados e também chegar um pouco mais acima na classificação, porque não merecemos o lugar que ocupamos".
O jogo tem início marcado para as 15h, no Estádio do Gulpilhares.

Camadas Jovens - Infantis: Coimbrões perde com o FC Porto por 4-2


O Coimbrões foi derrotado pelo FC Porto, no jogo do passado sábado, referente ao Campeonato Distrital da 1ª Divisão de Infantis. Apesar da derrota dos gaienses, estes foram em certas partes do jogo, mais perigosos do que os dragões. Assim, ainda na primeira parte, o Coimbrões adiantou-se no marcador, com um golo de André Pinto, mas ainda antes do intervalo, o FC Porto chegou à igualdade. Esta equipa portista, ainda não desperdiçou qualquer ponto esta temporada, somando apenas vitórias nos jogos realizados e assim já no decorrer do segundo tempo, conseguiu adiantar-se no marcador. O Coimbrões não baixou os braços e voltou a impor o seu futebol e com isso voltou a igualar a partida, com um golo de Fábio Rei, mas já na parte final da partida, dois erros dos jovens atletas coimbroenses deram dois golos aos portistas, fixando o resultado final num 4-2, injusto para aquilo que o Coimbrões fez em campo.
Joaquim Pinto, técnico dos gaienses, referiu ao 'A Bola é Redonda', que "Foi um grande jogo de futebol entre duas boas equipas. O Coimbrões fez uma exibição notável frente à principal equipa do FC Porto", partindo depois para a analise do jogo: "A primeira parte foi equilibrada e chegamos justamente à vantagem depois de termos ameaçado várias vezes a baliza do Porto. A equipa do Porto teve inúmeros problemas para chegar à nossa baliza fruto da excelente organização com que os jogadores se dispuseram em campo e só perto do final do 1º tempo chegou o empate, que era um resultado perfeitamente justo ao intervalo. Na 2ª parte o Porto entrou de uma forma bastante agressiva e aproveitou bem o vento forte que estava a seu favor. Mas apesar de ter chegado à vantagem e de por alguns minutos o Porto nos ter encostado à nossa baliza, a equipa teve uma fantástica capacidade de reacção, subiu no terreno e conseguiu voltar a empatar o jogo, numa jogada de grande qualidade. A meio da 2ª parte o jogo estava empatado a 2 e o Porto só conseguiu voltar a marcar em erros desnecessários dos nossos jogadores. Ainda assim foi um dia para recordar tendo em conta que jogamos contra uma equipa composta por muitos dos melhores jogadores do país. Parabéns a todos os atletas sem excepção".
O Coimbrões recebe no próximo sábado o Candal, num dérbi gaiense que será intenso. O Coimbrões venceu o jogo da primeira volta, no Rei Ramiro, por 0-4 e mais recentemente a equipa de Joaquim Pinto derrotou os candalenses na final do Torneio Miranda de Carvalho, ao vencer por 3-2, recuperando de uma desvantagem de 2-0. Joaquim Pinto, espera um bom jogo de futebol: "Vai ser um jogo complicado entre duas equipas que estão a passar uma fase muito boa. O Candal vai por certo querer vingar-se da goleada que sofreu na primeira volta no seu estádio e mais recentemente da derrota na final do Torneio Miranda de Carvalho. Mas nós estamos preparados para isso e independentemente dessa situação, confiamos muito no nosso valor. Espero que seja um bom dérbi onde impere o bom futebol".

Dragões Sandinenses regressam às vitórias frente ao Leões Citânia


A equipa do Dragões Sandinenses voltou este sábado às vitórias, depois de ter sido derrotado pelo Alfenense, na jornada 20. O adversário foi o Leões Citânia e o resultado final foi de 2-1 favorável à turma de Ricardo Jorge. Contudo, a equipa de Citânia de Sanfins ainda assustou os adeptos gaienses, pois foi para o intervalo a vencer por uma bola a zero, fruto do golo de Brandão à passagem da meia hora de jogo.
Na segunda metade, a equipa sandinense foi superior e acabou por chegar ao empate logo no recomeço, depois de um golo de grande penalidade, apontado por Rui Sousa. A dois minutos do final, Joel, que tinha entrado minutos antes, apontou o golo da reviravolta e deu a vitória à sua equipa.
Pedro Abel, médio dos gaienses, disse ao 'A Bola é Redonda', que foi uma vitória difícil, mas merecida: "Tivemos um jogo tremendamente difícil, sobretudo por duas razões: Qualidade do adversário e algum desacerto nosso na finalização. O Citânia é uma das boas equipas do nosso campeonato, muito organizada, coesa e com dois ou três jogadores que fazem diferença. Neste jogo assumimos desde o primeiro minuto o jogo, fomos uma equipa concentrada, competente, empenhada e tal como diz o "mestre" com notas artísticas, pecando apenas na finalização. Na nossa melhor fase o Citânia faz o golo numa jogada de contra ataque bem conseguida. Após o Intervalo, voltamos com a mesma atitude e empenho e com naturalidade demos a volta ao resultado, que apesar de apenas ter surgido o golo perto do fim foi inteiramente justo".
Com esta vitória, a equipa mantém o primeiro lugar e os três pontos de avanço para o Baião, somando agora 46 pontos. O próximo jogo é novamente em casa, frente ao Folgosa.

Avintes perde com Nun'Alvares e cai em zona de despromoção


O Avintes perdeu no passado sábado, com o Nun'Alvares, por três bolas a zero. Com este resultado, a equipa orientada por José Francisco, caiu para o 15º posto, já na zona de despromoção, por troca com o Vilarinho, que venceu o Valonguense. Usando da mesma táctica que contra o Grijó na 17ª jornada, que também ditou a derrota dos grijoenses, o Nun'Alvares cedo chegou ao golo, logo aos quatro minutos, por intermédio de Tozé, que também já havia marcado ao Grijó. O Avintes tentou responder da melhor maneira, mas ainda antes do intervalo sofreu o segundo golo, que deitou tudo a perder. Já na segunda parte, os avintenses ainda consentiram o terceiro golo dos forasteiros, aos 77' e consumaram assim a derrota.
João Guilherme, médio do Avintes, analisou a partida para o 'A Bola é Redonda', referindo que "sofremos um golo cedo, o que dado a situação da equipa, desestabilizou um pouco". Depois deste golo, o jogador refere as dificuldades impostas pela formação de José Cunha, que retraiu as suas linhas: "Depois o Nun'Alvares recuou e sem criar grandes oportunidades de golo marcou um de bola parada e outro já perto do fim, num lance de contra-ataque. É verdade que também não criamos grandes situações em termos ofensivos, pelo que o empate se calhar era o mais justo", referiu ainda o jogador.
O próximo jogo do Avintes é já no domingo, com a equipa a deslocar-se ao terreno do Ataense, último classificado da Divisão de Honra, portanto, um jogo onde os gaienses poderão somar três pontos. João Guilherme dá conta da importância dessa partida: "É um jogo muito importante para as duas equipas. Vai ser seguramente um jogo difícil, mas vamos com o pensamento de vitória, que poderá dar confiança à equipa e impulsionar-nos para melhores resultados", concluiu o atleta.
Nas últimas três temporadas, os resultados têm demonstrado algum equilíbrio, sendo que que há uma derrota um empate e uma vitória, para cada uma das equipas. Na última época o Avintes venceu por 1-2 e este ano é necessário repetir o feito, para não perder de vista as equipas que estão fora da zona de despromoção. A partida está agendada para as 15h, no Complexo Desportivo de Valbom.

Crestuma perde com o Leões Seroa e afunda-se mais na zona de despromoção



O Crestuma deslocou-se ao terreno do Leões Seroa e acabou por perder por duas bolas a zero. O conjunto de Mário Henrique somou a sexta derrota seguida e ocupa neste momento a 17ª posição, com apenas 15 pontos conquistados, sendo que vê o São Lourenço Douro a quatro pontos de distância.
Rui Leite, guarda-redes da formação gaiense disse ao blog que "perdemos mais um jogo que estávamos obrigados a ganhar e ficamos ainda pior na luta pelo nosso objectivo da manutenção. A única coisa positiva que tiramos da ultima partida é a atitude demonstrada pela equipa na segunda metade do jogo, que vamos querer manter já no próximo encontro".
E o próximo encontro, é já no domingo e logo contra o Marco 09, candidato assumido à subida de divisão e actual terceiro classificado, com 42 pontos conquistados. Rui Leite acredita num resultado positivo: "Se queremos cumprir o nosso objectivo e depender de nos estamos obrigados a vencer todos os jogos, pelo menos em casa, e é o que vamos já tentar fazer no próximo domingo. Na primeira volta foi com muita sorte que eles conseguiram empatar e desta vez em nossa casa vamos tentar ganhar".

Arcozelo perde em Nogueira da Maia, com o Nogueirense, por 3-2



O Arcozelo deslocou-se ao terreno do Nogueirense e acabou por ser derrotado pelo conjunto maiato por 3-2. Ainda assim os homens de Miguel Moreira estiveram a perder por três bolas a zero à entrada para o último quarto de hora da partida, mas ainda conseguiu atenuar essa desvantagem. A equipa do Nogueirense acabou por aproveitar alguns erros dos jogadores gaienses para construir uma vantagem confortável, mas ainda contou com a ajuda da equipa de arbitragem, pois Julu viu ser-lhe negado um golo por um defesa da casa, que defendeu a bola com a mão dentro da grande área, sem que o árbitro nada assinalasse.
Miguel Moreira, treinador do Arcozelo, abordou a partida para o 'A Bola é Redonda', referindo isso mesmo: "A meio da segunda parte, o árbitro cometeu o maior dos seus vários erros nesta partida, ao ignorar uma defesa do defesa central do Nogueirense, que defendeu de forma descaradíssima um remate do Júlu. Este lance ocorreu numa altura em que estávamos a "abafar" o Nogueirense e poderia ter importância fulcral no jogo, uma vez que além de nos abrir a possibilidade clara de reduzirmos a desvantagem, ia colocar o adversário com 10 jogadores e priva-la de um dos seus defesas mais experientes, numa altura em que ainda faltavam cerca de 20min para o final do jogo e quando nós dominávamos completamente o jogo". Sobre o resto do jogo, o técnico dos gaienses salienta os erros defensivos que ditaram os dois primeiros golos e a reacção que a sua equipa teve, conseguindo ainda reduzir a desvantagem já nos minutos finais: "na primeira parte o jogo foi repartido, embora nós tivéssemos delineado ser mais compactos e agressivos e nem sempre o conseguimos. Neste período tivemos uma oportunidade claríssima de golo, mas o guardião do Nogueirense teve a sorte de estar no caminho e o mérito de reagir rapidamente a um remate do Marlon já à entrada da pequena área. Quando já nada o fazia prever, em cima do intervalo, o Nogueirense chegou à vantagem, no seguimento de um pontapé de canto, num lance que tínhamos previsto e avisado os nossos jogadores sobre a necessidade de marcação ao marcador do golo. Na segunda parte entramos com uma atitude diferente, bem mais activos e menos reactivos,mas aos 55' sofremos o 2-0, num lance que foi praticamente uma fotocópia do primeiro golo. Após este erro perdemos momentaneamente a concentração e permitimos que o Nogueirense dispusesse de dois contra-ataques perigosos, em que num deles nasceu o terceiro golo. Mas mesmo após este duro e injusto golpe, a nossa equipa nunca desistiu e conseguimos marcar o 3-1 através do André Santos e mesmo a acabar marcamos o 3-2 através do Valter", disse o treinador, que reiterou o valor da sua equipa, deixando uma mensagem de confiança para o futuro: "Foi um jogo em que na minha opinião o resultado é injusto e em que o Nogueirense, apesar da óptima equipa que tem, teve também a estrelinha da sorte a acompanhar e soube aproveitar os nossos erros. Nós fomos penalizados por algumas falhas que tivemos, mas tenho a certeza que se jogarmos sempre da mesma forma como jogamos na segunda parte, poucas vão ser as equipas que nos vão bater".
O próximo jogo é já no domingo, frente a um adversário directo na luta pela manutenção, uma vez que o adversário é o Valonguense.

Pedroso vence 'Os Lusitanos' e ainda sonha com lugares cimeiros da classificação


Local: Campo do Gatões (Matosinhos)
Hora: 15h
Árbitro: Nélson Pascoal

Os Lusitanos: Tiago, Cordeiro (Ricardinho 46'), Carlos Manuel, Guerra e Rui, Meneses, Costinha (Ricardo Lopes 26') e Carlos Miguel, Ricardo Silva, Paulo e João.
Treinador: Marco Aleixo

Pedroso: Nuno Carvalho, Fábio, Sá, Tiago e Bino, Pedro Chaves, Luciano e Hélder (Ricardo 65'), Bruno (Tiago Costa 65'), Portugal (Cancela 83') e Teixeira.
Treinador: Manuel Rocha

Resultado ao intervalo: 2-0
Resultado final: 2-0

Marcadores: Luciano (7') e Moreira (40')

O Pedroso venceu no passado sábado a equipa de 'Os Lusitanos' por duas bolas a zero, continuando acesa a chama da subida de divisão, apesar dos nove pontos que separam a equipa gaiense do primeiro classificado, Cerco do Porto, se bem que na última temporada, tenham subido à 1ª Distrital os três primeiros classificados da Série 1, no caso o Foz, o Labruge e o Maia-Lidador. Ainda assim, a equipa gaiense fez um bom jogo e cedo chegou à vantagem, com um golo de Luciano, logo aos sete minutos de jogo. Ainda antes do intervalo, aos 40', Moreira confirmou a vitória dos gaienses, a segunda consecutiva.
O médio Tiago Silva, acedeu a comentar esta partida para o blog, referindo que "foi um jogo atípico pois estava muito vento o que não facilitava muitas vezes, visto o adversário jogar muita bola no ar porque tem jogadores altos. Na primeira parte fizemos os dois golos e fomos tranquilos para a segunda metade. Eles ainda tentaram reagir mas estivemos nós mais perto de aumentar do  que eles de reduzir. O mais importante foi sairmos de lá com os três pontos, pois o campo e o vento em nada ajudavam a nossa equipa", referiu o jogador.
O Pedroso volta a jogar domingo, em casa, frente ao Inter de Milheirós, às 15h.

26 de janeiro de 2011

Coimbrões ganha ao Eléctrico e sobe ao quarto lugar


O Coimbrões jogou no passado sábado em Ponte de Sôr, frente ao Eléctrico, equipa que ocupa a última posição, com apenas oito pontos conquistados. Este seria por ventura, um dos jogos mais complicados da temporada, até porque era aquele que mais distância fez a equipa coimbroense percorrer, uma vez que Ponte de Sôr é já perto do Vila Franca de Xira, muito próximo de Lisboa.
Quanto ao jogo, foi difícil, e o Coimbrões acabou por vencer por duas bolas a uma, apesar de ter entrado a perder, com o golo de Santana Maia, já muito perto do intervalo, aos 38' de jogo. Ainda assim, os gaienses não se deixaram abater e procuraram o golo, que surgiu aos 83' por intermédio de Pedro Tavares. Três minutos depois, explosão de alegria para o conjunto de Rui França, pois Sérgio fez o 1-2 e deu mais três pontos importantes ao Coimbrões, que assim soma a segunda vitória seguida no campeonato, algo que ainda não tinha acontecido esta época, sendo que já não perde há quatro partidas, somando três vitórias e um empate, o que os coloca isolados na quarta posição, com 26 pontos.
Fábio Martins, médio do Coimbrões, comentou a partida para o 'A Bola é Redonda', salientando as dificuldades impostas pela envolvência da partida: "Foi um jogo deveras complicado, em que o factor sorte acabou por nos bafejar. O Eléctrico é, neste momento, uma equipa fragilizada e que ocupa o último lugar como todos sabemos. Mas ao mesmo tempo é uma equipa que já não tem nada a perder, derivado dos poucos pontos que tem, tornando-se assim uma equipa muito perigosa. A juntar a estes factores, é de salientar a viagem longuíssima, quase cinco horas dentro de uma camioneta, que deixa qualquer pessoa cansada psicologicamente". Quanto ao jogo, o médio criativo acabou por sublinhar o esforço do conjunto, como determinante na conquista dos três pontos: "A nossa primeira parte foi muito morna. É certo que desperdiçamos algumas oportunidades flagrantes, mas acabamos por sofrer um golo de bola parada. Ao intervalo estávamos chateados connosco próprios, pois sabíamos que este era aquele jogo que nenhuma equipa queria perder pontos, era claramente um passo atrás na nossa caminhada, e o nosso mister fez-nos ver isso mesmo. Depois de um início de segunda parte em que o adversário quase aumentava a vantagem, o jogo mudou completamente de rumo, e assumimos definitivamente as rédeas do mesmo. Acabamos por marcar dois golos já a terminar a partida, de bola parada, mas antes já tínhamos disposto de várias ocasiões claras. Não falo de uma vitória justa, porque a nossa equipa tem qualidade para muito mais, falo sim de uma vitória feliz, de uma equipa que estava num nível muito superior à outra", concluiu.
O próximo jogo é no domingo, às 15h, com o Coimbrões a receber o Esmoriz, equipa que derrotou os gaienses na primeira volta por uma bola a zero. Este jogo fica também marcado pela entrega da Taça de Campeão Nacional ao Coimbrões, referente à temporada 2009/2010, época em que os gaienses venceram a Série C da 3ª Divisão Nacional.

Oliveira do Douro mais sólido, soma novo desaire


Local: Estádio Municipal da Lavandeira (Oliveira do Douro)
Hora: 15h
Árbitro: Daniel Cardoso

Oliveira do Douro: Ricardo, Dudu (Morais 63'), Ricardo Pinheiro, Rómulo e Pedro, Zé Coutinho, Nuno Cardoso, Zézé e Miguelito (Napoleão 78'), Hugo Figueiredo e Dany (Rabaça 58').
Treinador: Francisco Heitor

Amarante: Cláudio, Carlos Castro, Pedro Carneiro, Marcos e Tiago Martins, Faísca (Pedrinho 62'), Paulo Pereira (Jussane 62') e Filipe (Rochinha 85'), Tiago Silva, Bruno Teixeira e Bispo.
Treinador: Arlindo Gomes.

Resultado ao intervalo: 0-0
Resultado final: 0-1

Marcadores: Jussane (72')

Disciplina: Cartão vermelho a Jussane (90+4')

O Oliveira do Douro voltou a perder no passado sábado, em jogo a contar para a 15ª jornada da 3ª Divisão Nacional, Série B. O adversário dos oliveirenses foi o Amarante, terceiro classificado e o resultado final foi de apenas uma bola a zero para os visitantes, mas apesar da vitória, passaram por alguns calafrios, nomeadamente na primeira metade, pois Hugo Figueiredo dispôs de duas boas chances para marcar, aos 18' e 36', mas o avançado não rematou nas melhores condições. Já na segunda metade da partida, o Oliveira do Douro continuou a carregar em cima do Amarante, que acabou por chegar ao golo aos 72', por intermédio de Jussane, que tinha entrado dez minutos antes. Antes do final da partida, Rabaça contou mais duas oportunidades para igualar o marcador, mas infelizmente atirou ao lado.
Zé Coutinho, jogador do Oliveira do Douro, comentou o jogo para o 'A Bola é Redonda', referindo que "Fizemos uma primeira parte boa em que criamos dois ou três lances claros de golo e com o domínio completo do jogo. Entramos para a segunda parte com a vontade de conseguir a primeira vitoria e tivemos um lance de golo na pequena área, em que não conseguimos materializar o que parecia fácil. O jogo aí começou a ficar mais dividido, e o Amarante num lance de vários ressaltos conseguiu fazer o golo com muita felicidade". O jogador acha de todo injusta a derrota e considera que a sua equipa merecia muito mais pelo que já fez nas duas últimas jornadas: "Neste jogo tal como no do domingo passado em Mondim, não merecemos perder nem sequer empatar. Pelo que fizemos nestes dois jogos deveríamos ter vencido. Só quem nos acompanha semanalmente, sabe que a pontuação que temos não condiz com a qualidade da equipa nem com o equilíbrio que temos demonstrado nos jogos".
O próximo jogo é contra o Vila Meã, em casa do adversário e o jogador afirma que "só nos resta ir tentando, porque temos dignidade e responsabilidades, e a toalha nunca será atirada ao chão, por isso no próximo jogo em Vila Meã é mais um que vamos tentar pontuar, não nos resta outra opção".

25 de janeiro de 2011

Entrevista Com: Bruno Gomes (Portosantense)

A rubrica 'Entrevista Com', está de volta esta semana com um jogador gaiense que está ao serviço de um clube madeirense. Bruno Gomes, defesa central, começou a dar os primeiros passos nos escalões mais jovens dos Dragões Sandinenses, mas cedo despertou a cobiça dos chamados 'Grandes' e ainda com idade de infantil, transitou para o FC Porto. Depois de terminar a sua formação ao serviço do Leixões, Bruno cumpre o primeiro ano de sénior ao serviço do Portosantese, equipa que disputa a Série Madeira da 3ª Divisão Nacional. Com apenas 19 anos e a ambição natural de um jovem jogador de futebol, Bruno confessa ainda que, para além dos Dragões Sandinenses, gostaria de representar o Coimbrões ou o Candal.
Não perca esta entrevista exclusiva do blog e deixe o seu comentário.




Bruno Gomes gostava de representar o Candal ou o Coimbrões



A Bola é Redonda (ABR) - Bruno, em que clube começaste a dar os teus primeiros passos no futebol?

Bruno Gomes (BG) - Comecei aos 5 anos nas escolas dos Dragões Sandinenses onde estive até aos infantis de 2º ano.


ABR - Cedo ingressaste nas escolas do FC Porto. Como se processou essa situação?

BG - No meu segundo ano de infantis, fizemos um campeonato espectacular e acabamos por ser campeões de série com o treinador José Couto, ao qual eu devo muito por ter apostado em mim. Sendo escolinha já jogava nos infantis, fomos para a fase de disputa pelo campeão da Série Norte onde ficamos com o Boavista, FC Porto, Trofense, Penafiel entre outros. Nesses jogos a motivação era enorme porque estávamos a jogar contra equipas de grande nome como o Boavista e o FC Porto. Nunca perdemos contra o FC Porto e no primeiro jogo em casa marquei o golo do empate, destacando-me pela positiva durante o jogo. Foi numa altura em que o Boavista já tinha mostrado interesse em mim, já estava quase tudo tratado, quando o FC Porto entrou em contacto comigo e tive que decidir. acabei por escolher o FC Porto, e a meu ver foi a melhor escolha.


O jogador ao serviço
do Leixões
ABR - Passaste ainda por Padroense e Leixões. Porque não ficaste no FC Porto?

BG - A minha passagem pelo Padroense foi na época de 2006/2007, em que era juvenil de 1º ano. o FC do Porto tinha um protocolo com o Padroense para poder ter duas equipas a disputar o Campeonato Nacional de juvenis. Era FC Porto na mesma mas jogávamos era com o emblema do Padroense. A minha passagem pelo Leixões foi devido a empréstimo no meu primeiro ano de júnior. Tinha acabado de vir de uma lesão grave no joelho e só tinha feito a ultima fase completa de disputa pelo Campeão Nacional de juvenis. Nessa altura decidiram que era melhor ser emprestado para poder jogar, do que ficar no plantel de juniores do FC Porto e não jogar, isto no meu 1º ano de júnior. No segundo ano, fui cedido de vez ao Leixões e deixei de ter ligação com o FC Porto.


ABR - Chegado aos seniores, estás agora no Portosantense. Como surgiu a hipótese de ir para a Madeira?

BG - Foi numa altura em que já não esperava nada vindo de algum clube. Tinha feito a pré-época no Leça mas por motivos de baixa de salários, não pude continuar no plantel e voltei para os Dragões Sandinenses, onde fiquei a treinar e iria ser inscrito até que um empresário que já me conhecia por me ver jogar nos juniores do Leixões, entrou em contacto comigo com a proposta de eu vir jogar para o Portosantense. Era uma decisão que teria de ser feita de um dia pro outro e eu aceitei.


ABR - Tens na equipa um ex-colega teu do tempo do Leixões, o Fábio João. A adaptação foi mais fácil assim?

BG - Eu cheguei primeiro que ele ao clube, mas fui bem recebido pelos meus colegas. Puseram-me desde o primeiro dia á vontade para tudo o que pudesse vir a acontecer e para tudo o que eu precisa-se. O Fábio chegou agora nas contratações de inverno. Mas é sempre bom ter alguém no plantel que já se conhece, é uma continuação de adaptação mais fácil.


Primeira época de sénior ao
serviço do Portosantense
ABR - A equipa ocupa a terceira posição na Série Madeira da 3ª Nacional. Quais são os objectivos para esta temporada?

BG - Os objectivos para esta temporada passam pela a subida de divisão. O clube já merece a subida e os jogadores saem valorizados se conseguir-mos alcançar esse objectivo. Temos equipa para isso e para muito mais, já demonstramos isso ao obtermos cinco vitorias consecutivas. Só temos é que continuar assim.


ABR - A nível pessoal, estás satisfeito com a temporada que estás a realizar ou achas que poderias estar melhor?

BG - No global não tenho que me queixar.Vou jogando e isso é importante para qualquer jogador de primeiro ano de sénior, mas não sou diferente de ninguém ao ter pensado que poderia estar numa outra divisão e a jogar, mas pode ser que com a concretização do nosso objectivo muitas portas se possam abrir em clubes de divisões superiores.


ABR - Tens acompanhado as equipas do Concelho de Gaia?

BG - Sim, vou acompanhando sempre que posso as equipas de Gaia. São equipas que poderei, quem sabe, vir a representar e é sempre bom andarmos a par do desenvolvimento de todas as equipas.


ABR - Se tivesses que representar uma delas, qual gostarias que fosse e porque?
BG - Tenho duas que sinceramente gostaria de poder vir a representar que são o Coimbrões e o Candal. São equipas onde se joga um bom futebol e as condições para a pratica dele são muito boas. Sinceramente também gostava de voltar aos Dragoes Sandinenses, porque, primeiro, foi onde comecei a dar os primeiros chutos na bola e segundo, sempre sonhei em poder jogar no clube da minha terra, numa divisão onde ele já esteve e onde muita gente o gabava dizendo quer era o melhor clube de Gaia e com todo o mérito.


ABR - Por último, queria que deixasses uma mensagem a todos os jovens que sonham jogar futebol e também aos leitores do blog.

BG - Eu não sou exemplo pra ninguém, mas sempre tive o meu lema que é seguir sempre os meus sonhos enquanto puder. Arriscar quando tiver que arriscar, porque se não arriscar nunca saberei se seria ou não uma boa oportunidade, e acima de tudo, chegar ao final do dia e saber que dei tudo o que poderia dar e que o meu sonho esta a ser realizado da maneira que sempre sonhei.

Grijó vence Ataense e encurta distâncias para o segundo lugar


Local: Complexo Desportivo de Grijó
Hora: 15h
Árbitro: Luís Pinto
Grijó: Hélder, Maté, Ricardo Viana (Vítor Hugo 46'), Bruno Volta e Artur, Dani, Bruno Carvalho (Russo 76'), Kruss e Veiga (Ivo 73'), Pedro Gabriel e Bruno Faria.
Treinador: Óscar Nogueira

Ataense: Tiago Moniz, Magano, Dani, Andrezinho e Pires, Tiago Jogo (Ricardinho 80'), Rooney e Cruz (Bruno Cruz 45+1'), Moura, Rui Sousa (Márcio 75') e Pedro Rogério.
Treinador: Alcino Vieira

Resultado ao intervalo: 2-0
Resultado final: 3-1

Marcadores: Dani (13'), Artur (33') e Pedro Gabriel (62') para o Grijó e Vítor Hugo (87', na própria baliza) para o Ataense.

O Grijó venceu o Ataense no passado sábado, vingando assim o 2-1 favorável aos gondomarenses, registado na primeira jornada do campeonato. Desta vez, o conjunto de Óscar Nogueira venceu por 3-1, com golos de Dani, Artur e Pedro Gabriel e até o golo do adversário foi marcado por um jogador do Grijó, numa infelicidade de Vítor Hugo, que acabou por introduzir a bola na própria baliza, numa altura em que os gaienses já venciam por três bolas a zero e a partida estava nos minutos finais. A vitória grijoense é justa, não sofre contestação e ainda peca por escassa, pois segundo Óscar Nogueira, técnico do Grijó, foi invalidado um golo legal e não assinalada uma grande penalidade a favor da sua equipa: "Estranho é que num jogo tão fácil de arbitrar, sem casos e com os jogadores a respeitarem-se, tenham aparecido uns juízes a querer complicar o que era fácil, anulando um golo, que seria o 3-0, aparentemente limpo e não assinalando uma grande penalidade daquelas que até um cego vê ou pelo menos ouve a pancada, mas ainda teve a descaradeza de dar amarelo ao meu jogador, que por curiosidade até se feriu com a pancada. Enfim, espero que tenha sido uma tarde infeliz desta equipa de arbitragem", comentou o técnico, para depois abordar o jogo, referindo que "foi um jogo agradável, com pouca intensidade, com uma equipa a ter que ganhar e a outra a tentar não perder. Jogamos o suficiente para ganhar tranquilamente, mas devíamos ter sido mais eficazes e um pouco mais ambiciosos porque devemos querer sempre mais. Também saliento a postura do adversário, que sempre tentou contrariar a nossa superioridade de uma forma correcta e empenhada". O técnico concluiu referindo que espera poder "continuar a disputar o campeonato de forma séria e respeitável".
O Grijó, com esta vitória, soma 35 pontos e conseguiu voltar a encurtar distâncias para o Pedras Rubras, que perdeu na deslocação ao terreno do São Pedro da Cova, por uma bola a zero. Agora, estão apenas três pontos a separar as duas equipas. Na próxima jornada o conjunto gaiense desloca-se ao terreno do Vilarinho, formação que esta jornada saiu dos lugares de despromoção, por troca com o Avintes.